Instituto da Segurança Social desconhece que lar de Queluz impeça familiares de falar com utentes

Lar Centro Bem Estar de Queluz, no concelho de Sintra, tem 32 casos positivos do novo coronavírus.

Os filhos de um utente do Centro Bem Estar de Queluz, no concelho de Sintra, queixaram-se, no início desta semana, de serem impedidos de falar com o pai, um dos 32 casos positivos de Covid-19 na instituição. Contactado pela TSF, o Instituto de Segurança Social (ISS) garante não ter conhecimento formal da situação.

"Tendo sido confrontado com esta informação, o ISS irá avaliar junto da instituição a sua veracidade. Na sequência da confirmação de situações de infeção por Covid-19 entre trabalhadores e utentes da Estrutura Residencial para Pessoas Idosas do Centro de Bem Estar Social de Queluz, informa-se que a situação está a ser acompanhada pela Câmara Municipal de Sintra, Autoridade de Saúde e pelo Instituto da Segurança Social, através do Centro Distrital de Lisboa, conjugando esforços para apoio à instituição, nomeadamente a distribuição de Equipamento de Proteção Individual, reforço de Recursos Humanos, realização de testes a todos os utentes, processo de descontaminação, visando o corte da cadeia de transmissão da Covid-19 e o controlo da infeção", explicou o ISS.

No mesmo comunicado, o Instituto da Segurança Social afirma também que não tem conhecimento de qualquer denúncia ou reclamação relacionada com este lar de Queluz, onde já se registaram dois óbitos.

Fernanda Braz, a diretora da instituição, revelou esta quinta-feira à Lusa que o lar vai retomar as visitas na segunda-feira, após um processo de desinfeção e explicou os procedimentos tomados pela instituição.

"Após conhecermos o resultado dos testes, os utentes foram divididos por pisos, consoante o resultado. Os utentes infetados estão isolados no piso inferior e os negativos no superior. Temos cumprido todas as orientações. Na segunda-feira, iremos retomar as visitas e a partir de amanhã [sexta-feira] os utentes poderão novamente ser contactados por videochamada e videoconferência", explicou Fernanda Braz.

Há uma semana foram também testados os funcionários do lar, tendo sido detetados seis casos positivos.
Portugal contabiliza 1369 mortos associados à Covid-19 em 31 596 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia divulgado esta quinta-feira.

Relativamente ao dia anterior, há mais 13 mortos (+1%) e mais 304 casos de infeção (+1%). O número de pessoas hospitalizadas subiu de 510 para 512, das quais 65 se encontram em unidades de cuidados intensivos (menos uma).

O número de doentes recuperados é de 18 637. Portugal entrou no dia 3 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de