Bombeiros de Sacavém têm ambulância parada há três meses... e o caso não é único

A denúncia é feita por Mário Pina, o presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Sacavém.

Os Bombeiros Voluntários de Sacavém têm uma ambulância nova do INEM parada há três meses. Falta a licença para o transporte de doentes que é emitida pelo Instituto da Mobilidade e dos Transportes.

O pedido para a inspeção foi feito em abril, mas a chamada ainda não chegou e a ambulância não pode circular. A denúncia é feita por Mário Pina, o presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Sacavém.

"Tenho aqui uma ambulância do INEM fechada há três meses à espera de uma licença do IMT que me dê para transporte de doentes. Já foi pedida em abril. Portanto, vai fazer três meses que a ambulância nova - uma daquelas ambulâncias novas dadas pelo INEM - está fechada à espera que o IMT diga onde é que eu vou fazer a inspeção para me ser atribuída a licença de transporte de doentes", explica Mário Pina à TSF.

O representante dos bombeiros explica que a inspeção chegou mesmo a estar marcada, mas nunca aconteceu: "Telefonamos para lá, atende-nos a linha azul, dizem para mandarmos e-mails. O último e-mail que eu recebi foi a dizer-me que estava marcada a inspeção para o dia 14 de maio - estávamos no dia 27 de maio. Devem estar a brincar. Houve aqui engano, certamente."

Contactado pela TSF, o IMT confirma um lapso no mail enviado em maio e faz saber que a inspeção da ambulância está marcada para o dia 11 de junho.

No mesmo plano, a Liga dos Bombeiros Portugueses assegura que este não é caso único. Jaime Marta Soares revela que o problema coloca-se com ambulâncias, mas também com outras viaturas: "o combate dos incêndios florestais, incêndios urbanos, desencarceramentos... todo um conjunto de viaturas dos bombeiros que, muitas delas, padecem dessas questões e que estão paradas meses até poderem entrar em funcionamento. Isto é gravíssimo."

Jaime Marta Soares fala em excesso de burocracia, mas assegura que a LIGA, O IMT, o INEM e a secretaria de estado da proteção civil estão a trabalhar para resolver este problema.

O presidente da Liga de Bombeiros defende que as ambulâncias deviam ser entregues já com todas as licenças e admite a necessidade de uma alteração à lei para agilizar os processos.

"Nós sentimos que há vontade das entidades, mas às vezes há coisas que impedem, nomeadamente a lei que não está adaptada à realidade", remata Jaime Marta Soares.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de