Onda de calor na Europa, mas vai continuar a chover em Portugal

Em Portugal, o verão começou com muita chuva e temperaturas amenas, mas, pelo resto da Europa há uma onda de calor que promete bater recordes. Temperaturas vão ultrapassar os 40ºC em França e Espanha.

A chuva irá manter-se até à próxima quarta-feira, dia 26, quando as nuvens devem dar lugar ao sol e as temperaturas irão subir ligeiramente, de acordo com as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Segundo a informação disponibilizada na página oficial do IPMA, esta segunda-feira haverá períodos de chuva até ao início da tarde, em particular nas regiões Norte e Centro e em geral fraca. A nebulosidade deve diminuir a partir da tarde. Irá registar-se vento fraco a moderado (até 25 km/h) e uma pequena descida da temperatura máxima, em especial nas regiões do Interior. Em Lisboa, as temperaturas máximas vão atingir os 24ºC e as mínimas os 16ºC. Já no Porto, as máximas não passam dos 21ºC e as mínimas dos 15ºC.

Na terça e na quarta-feira, o cenário não vai ser muito diferente: períodos de céu muito nublado com possibilidade de chuva, especialmente na região Norte, e vento fraco. Deverá registar-se uma subida da temperatura máxima, em especial nas regiões do interior. Em Lisboa, as máximas chegam aos 25ºC e as mínimas aos 16ºC. No Porto, as temperaturas máximas podem ir aos 23ºC e as mínimas aos 12ºC.

É na quinta-feira que a chuva deve ir embora. O IPMA prevê céu pouco nublado, embora as nuvens possam persistir no litoral oeste até ao meio da manhã. O vento continuará fraco e deve registar-se uma pequena subida da temperatura máxima.

A partir daí, o sol deverá voltar a aparecer até ao final da semana. O dia mais quente será o domingo, quando, em Lisboa, os termómetros irão chegar os 29ºC e no Porto deverão atingir os 25ºC.

Entretanto, Europa enfrenta onda de calor

Enquanto Portugal está a ter dificuldade a chegar ao tempo de verão, uma vaga de calor está a atingir vários países do centro da Europa. No final desta semana, as temperaturas deverão exceder os 40ºC, com França a assumir-se como um dos países mais problemáticos.

As autoridades francesas já ativaram um plano para lidar com a vaga de calor extremo: vai ser distribuída água - em particular, às pessoas idosas -, foram instaladas fontes temporárias e as piscinas públicas estarão abertas até mais tarde. A mais grave onde de calor a alguma vez atingir o país foi em agosto de 2003, quando cerca de 15 mil pessoas perderam a vida, de acordo com a BBC.

Tanto a França como a Alemanha, a Suíça e a Bélgica poderão bater, nos próximos dias, os recordes históricos das temperaturas registadas no mês de junho.

A alta pressão atmosférica que se encontra sobre o centro da Europa está a levar para a região o ar quente do Norte de África, causando estas temperaturas elevadas.

Notícia atualizada às 12h07

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de