Escolas têm de concluir avaliação a manuais escolares gratuitos até sexta-feira

Diretores escolares fazem balanço positivo da medida e acreditam que pode implementar uma "cultura de reutilização" na comunidade escolar. No próximo ano, manuais escolares gratuitos vão ser alargados a todo o ensino obrigatório.

As escolas têm mais três dias para concluírem o processo de avaliação do estado de conservação dos livros escolares, que foram emprestados aos alunos no último ano letivo.

Os livros foram devolvidos pelos encarregados de educação e têm de estar em condições para serem usados por outros estudantes.

O presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos de Escolas Públicas acredita que vai ser possível concluir o processo até sexta-feira, para que os alunos possam ter direito a novos vales de livros.

No ano passado, dos manuais emprestados, só 4% puderam ser reutilizados mas Filinto Lima acredita que este ano vão ser muitos mais.

A distribuição de manuais escolares, uma medida implementada pelo Governo de António Costa, teve um custo de 30 milhões de euros e, já no próximo ano letivo, será alargada a todos os estudantes do ensino obrigatório.

"São muitos milhões de euros investidos pelo Ministério Público, dinheiro que é de todos nós, que sai do erário público, daí a cultura de reutilização dos manuais escolares ser uma cultura que temos de implementar junto dos agentes educativos, dos alunos, dos pais, dos professores, para que a taxa de reutilização seja maior", defende Filinto Lima, ouvido pela TSF.

Os encarregados de educação que optarem por não devolver os manuais escolares vão ter de os pagar, tal como se for o caso de não estarem em condições para serem reutilizados.




Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de