Juiz Ivo Rosa põe em causa legalidade das provas da Operação Marquês

Gravações, documentos informáticos e transcrições de buscas são questionadas num despacho assinado pelo juiz Ivo Rosa.

O juiz Ivo Rosa tem dúvidas sobre a legalidade de algumas das provas recolhidas na Operação Marquês, o processo em que José Sócrates é o principal arguido.

De acordo com um despacho a que o Diário de Notícias teve acesso, o juiz diz não ter encontrado "nenhum despacho" que validasse alguns dos atos do Tribunal Central de Instrução Criminal, depois de ter sido declarado que esse tribunal não deveria intervir no processo que envolve o BES e a Portugal Telecom.

"Foi declarada a incompetência do Tribunal Central de Instrução Criminal, para a prática dos atos jurisdicionais no âmbito do referido inquérito apenso e declarado competente, a Secção de Instrução Criminal da então Instância Central do Tribunal da Comarca de Lisboa", escreve o juiz.

A validade de provas como gravações, documentos informáticos e as transcrições de buscas feitas à Portugal Telecom e à consultora PWC, em 2015, podem estar em causa.

O jornal ainda ainda que o despacho com as dúvidas de Ivo Rosa foi já enviado aos advogados dos 28 arguidos da Operação Marquês.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de