Militar português que sofreu acidente de viação teve de amputar as duas pernas

O soldado foi submetido a uma cirurgia em Bangui, na capital da República Centro-Africana, logo após o acidente.

O militar português que ficou gravemente ferido num acidente de viação na República Centro-Africana teve de amputar as duas pernas.

Em comunicado, o Estado-Maior-General das Forças Armadas revelou que o acidente com uma viatura Humvee resultou num "traumatismo craniano sem perda de conhecimento" e num "traumatismo grave dos membros inferiores", o que levou à necessidade de uma "amputação bilateral dos membros inferiores".

A cirurgia decorreu no hospital militar da missão das Nações Unidas na capital do país, em Bangui, e não houve "intercorrências no intra ou pós-operatório imediato".

Na chegada ao hospital das Forças Armadas, o soldado estava "consciente, colaborante, orientado e hemodinâmicamente estável". Os responsáveis médicos esperam "uma evolução e prognóstico favoráveis".

"Está agora em fase de avaliação multidisciplinar laboratorial, imagiológica e clínica diferenciada, envolvendo diferentes especialidades médico/cirúrgicas. Irá ficar internado na Unidade de Cuidados Intensivos do HFAR para monitorização e vigilância da evolução clínica", revelaram as Forças Armadas.

O Hospital das Forças Armadas assegura que tem as capacidades necessárias para garantir o tratamento atual e recuperação futura do militar acidentado e os psicólogos militares do HFAR e do Exército encontram-se a prestar apoio ao militar e à família.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de