Câmara do Porto decreta dois dias de luto municipal por Aureliano Veloso

Aureliano Veloso, que morreu aos 95 anos, foi o primeiro presidente a ser eleito para a Câmara do Porto, como independente pelo Partido Socialista, nas primeiras eleições autárquicas após o 25 de Abril.

A Câmara do Porto decretou esta quinta-feira dois dias de luto municipal pela morte de Aureliano Veloso, o primeiro presidente da autarquia democraticamente eleito.

A autarquia revelou que os dois dias de luto municipal começam a ser respeitados com efeito imediato.

Na quarta-feira à noite, a Assembleia Municipal do Porto, por proposta do seu presidente, Miguel Pereira Leite, cumpriu um minuto de silêncio pela morte de Aureliano Veloso.

Depois de ter sido conhecida a morte do primeiro presidente da Câmara do Porto democraticamente eleito, Miguel Pereira Leite considerou que, sem prejuízo da apresentação de posteriores votos de pesar em próxima sessão daquele órgão municipal, propor a realização deste minuto de silêncio.

Aureliano Veloso, que morreu aos 95 anos, foi o primeiro presidente a ser eleito para a Câmara do Porto, como independente pelo Partido Socialista, nas primeiras eleições autárquicas após o 25 de Abril, e governou entre 1977 e 1979.

Nascido na freguesia de Folgosinho, em Gouveia, em 25 de fevereiro de 1924, Aureliano Capelo Pires Veloso, licenciou-se em Engenharia Químico-Industrial pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto em 1949.

Aureliano Veloso era pai do músico e cantor Rui Veloso e irmão de Pires Veloso, candidato à Presidência da República, em 1980, que ficou conhecido como o "vice-rei do Norte".

Em 2011, foi agraciado com a Medalha Municipal de Honra da cidade do Porto.

As cerimónias fúnebres de Aureliano Veloso realizam-se esta quinta-feira, às 16h30, no Tanatório de Matosinhos.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de