PJ realizou buscas na Câmara do Porto

A autarquia confirmou que foram recolhidos documentos urbanísticos e comunicações eletrónicas, e avançou que nenhum "funcionário ou responsável político foi inquirido ou constituído arguido".

A Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou a realização de buscas na Câmara do Porto, no âmbito de um processo que corre termos no DIAP do Porto, tendo, segundo fonte da autarquia, recolhido "comunicações eletrónicas e documentos" urbanísticos.

"Confirma-se a realização de buscas na Câmara Municipal do Porto no âmbito de um processo que corre termos no DIAP [Departamento de Investigação e Ação Penal] do Porto", lê-se na resposta enviada à Lusa pela PGR.

De acordo com o Público, em causa está o caso Selminho, que envolve terrenos na escarpa da Arrábida.

Também a Câmara do Porto confirmou, esta noite, à Lusa, que a Polícia Judiciária (PJ) fez uma "série de diligências", tendo recolhido "comunicações eletrónicas e documentos", sobretudo urbanísticos, relacionados com processos antigos.

"A Câmara do Porto confirma que a PJ fez hoje, com total colaboração do município, uma série de diligências que consistiram na recolha de comunicações eletrónicas e documentos, sobretudo urbanísticos, relacionados com processos antigos e já conhecidos publicamente", afirma, em resposta à Lusa.

A autarquia não esclarece, no entanto, quais os processos em causa, sublinhando apenas que "durante as diligências na Câmara do Porto não foi nem inquirido, nem constituído arguido qualquer responsável político ou funcionário em funções".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de