Portugal é primeiro país a receber prémio de "Destino Turístico Acessível"

Distinção foi entregue pela Organização Mundial do Turismo.

Portugal tornou-se, esta terça-feira, no primeiro país a conquistar o prémio de "Destino Turístico Acessível", entregue pela Organização Mundial do Turismo (OMT) durante a 23.ª assembleia geral do organismo, em São Petersburgo, na Rússia. Este ano é a primeira vez que a distinção é atribuída e vem reconhecer o esforço do país na promoção da acessibilidade no turismo.

"Esta distinção é recebida com enorme satisfação e é um grande impulso para que Portugal se torne o destino mais inclusivo do mundo. Esta é uma questão de cidadania e este é também um segmento muito importante no turismo mundial. Ainda há muito a fazer. Quem perde esta carruagem perde o comboio", explicou, em comunicado, Ana Mendes Godinho, Secretária de Estado do Turismo.

Com o objetivo de tornar a oferta turística nacional acessível a todos, há três anos o Governo lançou o programa All for All, que reúne e divulga roteiros acessíveis de Norte a Sul do país. Mas não se ficou por aqui. No site Vist Portugal passaram a estar disponíveis roteiros acessíveis e, no âmbito do Programa Valorizar, foi lançada uma linha de financiamento específica para apoiar projetos de acessibilidade no turismo.

Até agora foram apoiados 116 desses projetos, que representam um investimento de 20 milhões de euros e receberam um apoio de 14 milhões. Entre as iniciativas apoiadas estão a criação de acessibilidade no Convento de Cristo, em Tomar, no Castelo de São Jorge, em Lisboa, no Palácio Nacional de Mafra e nas Caves Calém, em Vila Nova de Gaia.

Nas escolas portuguesas com ensino dedicado ao turismo passou a ser incluído, nos currículos dos alunos, um módulo dedicado ao turismo acessível, que conta já com 1.059 alunos formados.

À semelhança do programa "Praia Acessível", o programa "Festivais + Acessíveis", lançado este ano, distingue os eventos que apresentem condições de acessibilidade para pessoas com necessidades específicas, como é o caso das grávidas, seniores ou pessoas em cadeira de rodas, por exemplo.

"Este é o reconhecimento de um trabalho sólido e estruturado que Portugal tem estado a realizar em matéria de promoção de mais e melhores acessibilidades para todos. Este Governo tem dado passos seguros no sentido de transformar Portugal num verdadeiro país inclusivo. É um caminho sem retorno, pois a isso nos obrigam todos aqueles para quem trabalhamos, sejam eles pessoas com deficiência ou condicionadas na sua mobilidade", acrescentou Ana Sofia Antunes, Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de