Portugal impede cada vez mais estrangeiros de entrar no país. Brasileiros no topo da lista

Em 2018, mais de 3.500 cidadãos estrangeiros foram impedidos de entrar em Portugal. Número aumentou nos últimos anos e os brasileiros são os mais barrados.

O número de cidadãos estrangeiros impedidos de entrar em Portugal aumentou no ano passado, bem como o número de pessoas controladas nas fronteiras. De acordos com o Jornal de Notícias , no topo da lista estão brasileiros.

No total, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) impossibilitou a entrada de de 3.758 pessoas em território nacional, 76% das quais brasileiras. Estes valores são residuais, em relação aos oito milhões de controlos, mas o número de pessoas barradas tem vindo a aumentar nos últimos cinco anos.

A existência de vistos de estudante quando na realidade se vem à procura de trabalho, os pedidos de vistos de turista na fronteira sem se comprovar que se é viajante ou a falta de um motivo válido para a entrada no país são algumas das justificações apontadas para impedir cidadãos de entrar em Portugal.

O SEF assegura que cumpre "a legislação europeia a que está vinculado" e que os cidadãos apenas são impedidos de entrar em território nacional "quando não existe outra possibilidade legalmente prevista".

Jorge Vala, investigador do Instituto de Ciências Sociais de Lisboa, explicou ao Jornal de Notícias que muitos brasileiros estão a chegar a Portugal devido à crise económica e insegurança, mas também a propósito da eleição de Jair Bolsonaro para a presidência do país.

A presidente da Casa do Brasil em Lisboa, Cyntia de Paula, admite que há que alguns brasileiros que se descuidam nos preparativos da viagem, mas lamenta que a burocracia seja excessiva e que os consulados não ajudem por não fornecerem informação clara e completa.

A responsável fala ainda de decisões arbitrárias por parte do SEF e acusa-o de não seguir a mesma regra em todos os casos.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de