Internamentos disparam. Há 29 mortes e 45.335 novos casos de Covid-19

Nas últimas 24 horas, há registo de mais 105 doentes internados em enfermarias e de mais sete em cuidados intensivos.

Estão confirmadas 19.856 mortes devido à Covid-19 em Portugal, mais 29 do que no último boletim epidemiológico emitido pela Direção-Geral da Saúde (DGS). O número de pessoas infetadas pela doença até agora é de 2.611.886, mais 45.335 nas últimas 24 horas.

CONSULTE AQUI O BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

O boletim epidemiológico diário da DGS regista mais 105 pessoas internadas em enfermaria, totalizando 2397, e 160 em unidades de cuidados intensivos, mais sete nas últimas 24 horas.

Os casos ativos voltaram a aumentar nas últimas 24 horas, totalizando 597.879, mais 5910 do que no sábado, e recuperaram da doença 39.396 pessoas, o que aumenta o total nacional de recuperados para 1.994.151.

Casos ativos e contactos em vigilância continuam a ser mais de um milhão de pessoas (1.222.478), o que significa que mais de 1,2 milhões de pessoas estão em isolamento.

Das 29 mortes, 11 ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, seis no Norte, seis no Centro, quatro no Alentejo e duas no Algarve.

O boletim revela ainda que do total de mortes registadas 18 foram pessoas com mais de 80 anos, nove entre os 70 e os 79 anos, uma entre os 60 e os 69 anos e uma entre os 50 e os 59 anos.

Comparativamente com a situação registada em Portugal no mesmo dia há um ano, o país tem hoje mais 32.900 novos casos de infeção - contabilizaram-se 12.435 novos casos a 30 de janeiro de 2021.

Nesta comparação, o número de internamentos é neste domingo inferior, uma vez que há um ano estavam internadas 6544 pessoas, 843 das quais em cuidados intensivos, havendo também agora menos óbitos (no mesmo dia de 2021, o boletim da DGS contabilizava 293 mortes nas 24 horas anteriores).

O Norte é a região com mais novos casos diagnosticados nas últimas 24 horas, num total de 19.524, seguindo-se Lisboa e Vale do Tejo (12.928), o Centro (7158), o Algarve (2039), o Alentejo (1779), os Açores (1143) e a Madeira (764).

O maior número de óbitos desde o início da pandemia concentra-se nos idosos com mais de 80 anos (12.847), seguindo-se as faixas etárias entre os 70 e os 79 anos (4310) e entre os 60 e os 69 anos (1829).

Desde o início da pandemia, em março de 2020, a região de Lisboa e Vale do Tejo registou 959.658 casos e 8368 mortes.

Na região Norte registaram-se 1.004.400 infeções e 6034 óbitos e a região Centro tem agora um total acumulado de 364.990 infeções e 3487 mortes.

O Algarve totaliza 100.422 contágios e 629 óbitos e o Alentejo soma 86.683 casos e 1126 mortos por Covid-19.

A Região Autónoma da Madeira soma desde o início da pandemia 63.448 infeções e 155 mortes e o arquipélago dos Açores 32.285 casos e 57 óbitos.

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da DGS.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 19.856 pessoas, 10.451 homens e 9405 mulheres.

Já foram contabilizados 2.611.886 casos de infeção, dos quais 1.223.479 homens, 1.385.989 mulheres e 2418 casos de sexo que se encontra sob investigação, uma vez que estes dados não são fornecidos de forma automática.

A Covid-19 provocou mais de 5,65 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

A nova variante Ómicron, classificada como preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral e, desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta em novembro, tornou-se dominante em vários países, incluindo em Portugal.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de