Lisboa recebeu 492 candidaturas a subsídio de arrendamento, 70% cumprem requisitos

Os primeiros subsídios começam a ser pagos em julho, mas o programa de apoio vai ter uma segunda edição.

A Câmara Municipal de Lisboa (CML) recebeu 492 candidaturas ao Subsídio Municipal de Arrendamento (SMA) revelou à TSF a vereadora Paula Marques que tem na autarquia o pelouro da Habitação e Desenvolvimento Local. Trata-se de um subsídio para ajudar famílias que, estando no mercado privado de arrendamento, por causa da pandemia, estão a ter dificuldades em pagar a renda.Paula Marques acredita que 70% das candidaturas vão ser aceites.

Os apoios vão durar 12 meses, mas podem ser prolongados por mais um ano. O valor médio do apoio será de 200 euros e varia entre os 146 euros para os valores de rendas mais baixas e os 300 euros. A autarquia de Lisboa vai, assim, apoiar as famílias pagando um terço da renda, sublinha.

As candidaturas vão agora ser analisadas, mas uma coisa é certa, diz a vereadora da Habitação e Desenvolvimento Local da Câmara Municipal de Lisboa: "As rendas que são praticadas na capital não são compatíveis com os salários que são pagos."

Paula Marques explica que os dados que foram apurados indicam que 70% dos candidatos estão empregados e, em média, recebem um salário brutode 1061 euros. A vereadora adianta que em média, os candidatos ao SMA pagam uma renda de casa de 569 euros, o que significa que o esforço destas famílias para pagarem as rendas é superior a 60%.

No grupo de candidatos ao SMA há também reformados e desempregados. As idades dos candidatos variam entre os 35 e os 65 anos, têm em média 40 anos. Os agregados familiares são formados por duas pessoas e 19% dos candidatos são famílias monoparentais.

A vereadora da Habitação e Desenvolvimento Local da CML sublinha que ainda vivemos numa situação de crise, apesar do desconfinamento ter começado, pelo que a autarquia está já a preparar, uma nova edição deste apoio com um reforço da verba associada ao subsídio.

Para já, o SMA está dotado de uma verba de 500 mil euros. Os candidatos começam a receber os primeiros apoios em julho, adiantou à TSF a vereadora Paula Marques.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de