Madeira tem 40% da população residente com vacinação completa

Na última semana "foram administradas 22 210 vacinas, das quais 9927 foram primeiras doses e 12 283 segundas doses".

Mais de 232 mil vacinas contra a Covid-19 foram administradas até domingo na Madeira, tendo a região atingido 40% da população com vacinação completa, informou esta terça-feira o gabinete do secretário da Saúde do arquipélago.

"Até ao dia 04 de julho foram administradas na Região Autónoma da Madeira 232 172 vacinas contra a Covid-19", lê-se na nota divulgada, que precisa que o plano de vacinação arrancou no dia 31 de dezembro de 2020.

O mesmo documento indica que "40% da população residente tem a vacinação completa e 52% uma dose da vacina".

"Do número total de vacinas administradas, 131 130 correspondem à administração da primeira dose e 101 042 foram segundas doses", especifica.

Na última semana "foram administradas 22 210 vacinas, das quais 9927 foram primeiras doses e 12 283 segundas doses", refere.

O boletim ainda destaca que, no concelho do Porto Moniz, na zona norte da Madeira, foi ultrapassada "a taxa dos 70% da população residente com, pelo menos, uma dose da vacina", recordando que a ilha do Porto Santo foi a "primeira a alcançar esta meta".

No passado domingo, dia em que a região ultrapassou as 200 mil vacinas administradas, o secretário regional da Saúde da Madeira declarou que a região decidiu receber passageiros com "todas as vacinas administradas até agora no mundo inteiro".

Pedro Ramos mencionou que, embora a nível nacional estejam apenas validadas as vacinas aprovadas pela Agência Europeia do Medicamento, [BioTech Pfizer, a Moderna, a AstraZeneca e a Janssen], a resolução adotada pelo executivo madeirense viabiliza a entrada de viajantes com vacinas produzidas por outras farmacêuticas.

Este é o caso da SinoPharm ou Sinovac (da China), Covaxin (Índia), Epivaccorona (Rússia) e Soberana (Cuba).

"Serão aceites na Região Autónoma da Madeira porque, se milhões de pessoas fizeram a vacinação com estas vacinas, o seu grau de proteção é semelhante aos outros", explicou o responsável madeirense.

Na origem desta decisão estão a autonomia regional para tomar algumas decisões e o facto destas vacinas serem "autorizadas pela Organização Mundial de Saúde, que é uma entidade credível", referiu fonte do gabinete de Pedro Ramos.

Falando sobre o facto de o verão ser uma altura de regresso de muitos emigrantes, considerou que "a probabilidade de muitos terem feito outro tipo de vacina também é menor porque a maioria dos países tem adotado as vacinas que a nível da União Europeia estão a ser autorizadas e disponibilizadas para esses mesmos países".

Contudo, o governante apontou desconhecer qualquer caso, "até agora, da chegada de algum emigrante ou turista com outro tipo de vacina".

"Naturalmente vamos ter isso em conta e o teste PCR passou a ser o teste exigido à entrada e sua repetição entre o 5.º e o 7.º dia para todos aqueles que vão chegar à Madeira", enfatizou.

A Direção Regional de Saúde (DRS) registou na segunda-feira nove novos casos de Covid-19 e mais 14 pessoas recuperadas, reportando 75 casos ativos na Madeira.

As unidades dedicadas à Covid-19 no Hospital do Funchal permanecem sem doentes internados. A pandemia de Covid-19 provocou pelo 3 987 613 menos mortos em todo o mundo, resultantes de mais de 184,1 milhões de casos de infeção pelo coronavírus, segundo o balanço mais recente feito pela agência France Presse.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17 118 pessoas e foram registados 892 741 casos de infeção, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, a Índia ou a África do Sul.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de