Doentes internados em Faro: a maior parte não foi vacinada

A Unidade de Cuidados Intensivos do Centro Hospitalar e Universitário do Algarve já abriu mais camas.

Embora o Centro Hospitalar e Universitário do Algarve (CHUA) acredite que nos próximos dias vão estabilizar o número de internamentos em enfermaria, nas Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) essa situação ainda não está a acontecer.

"Na UCI ainda estamos numa fase em que vamos aumentar o número de doentes internados", afirma a presidente do Conselho de Administração do CHUA. Ana Varges Gomes explica que estão a seguir o plano de contingência e que foi necessário abrir novas alas para doentes Covid.

"Foi o que aconteceu na semana passada, porque atingimos uma capacidade de 80%. Os números ainda não nos permitiram andar para trás", explica.

A título de exemplo,em Faro estão 17 doentes na Unidade de Cuidados Intensivos e 43 em enfermaria. Mas a maior parte, mais de 30 doentes, não estão vacinados e 2 receberam apenas uma dose de vacinação.

Ana Varges Gomes confirma que " a maior parte dos doentes mais novos internados não estão vacinados". Há também outros mais velhos a quem tinha sido administrada apenas uma dose de vacina e outros " com 60 ou 60 e poucos anos que não têm nenhuma dose de vacina", afirma.

Mas adianta que essas pessoas não foram vacinadas por sua opção. No entanto, há também casos de pessoas mais velhas já com as 2 doses de vacinas administradas mas são sobretudo as que se encontram internadas em lares de idosos." Não tem a ver com a sua situação clínica", garante. Ou seja, são doentes que ficaram infetados mas não estão em estado grave para serem internados." Muitas vezes os lares não têm condições para as pessoas ficarem em isolamento e o hospital é sempre o último reduto", conclui a administradora hospitalar.

Doente a precisar de ECMO transferido para Coimbra em avião da Força Aérea

Um doente internado no Hospital de Faro com Covid 19 e que sofria também de obesidade excessiva foi transportado num avião C-130 da Força Aérea para os Hospitais da Universidade de Coimbra, um dos três do País que pode fazer tratamento por ECMO. " É uma respiração extra-corporal. As pessoas em vez de respirarem pelos seus pulmões, há uma máquina cá fora por onde o sangue passa e faz a funçaõ dos pulmões", explica a presidente do conselho de administração do CHUA." É a possibilidade que têm de conseguir resistir à infeção que têm". Além do auxílio da Força Aérea no transporte do doente, o Hospital teve também a ajuda do INEM e da Proteção Civil.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de