Um curso para evitar mortes com tratores

Na região do Minho, por exemplo, a cada cinco dias há um acidente com tratores ou máquinas agrícolas. Uma associação uniu-se à autarquia de Vila Verde para dar formação gratuita a agricultores e proprietários.

Todos os anos há notícias de mortes em acidentes com tratores ou máquinas agrícolas. Portugal é um dos países da Europa com mais acidentes e na região do Minho, por exemplo, a cada cinco dias há um sinistro relacionado com estes veículos. Números do ano passado, da GNR, e que não contabilizam acidentes em propriedades privadas.

Com estas estatísticas em mente e com as mudanças previstas pelo Governo até 2021 neste tipo de viaturas, que prevê a obrigatoriedade de formação para quem quiser conduzir e operar tratores, a ATAHCA - Associação de Desenvolvimento das Terras Altas do Homem, Cávado e Ave decidiu fazer uma parceria com a Câmara Municipal de Vila Verde e dar uma ajuda.

Em entrevista à TSF, José da Mota Alves, presidente da ATAHCA, aponta o envelhecimento dos condutores, mas também as condições dos terrenos e caminhos e a pouca atenção às questões de segurança como as principais causas de acidentes.

José da Mota Alves defende inspeções periódicas destas viaturas e mais formação e, por isso, a associação está a organizar cerca de 20 cursos para ensinar a conduzir e a operar tratores em segurança. O objetivo principal é diminuir o número de acidentes e mortes.

Hoje terminou a primeira formação para o primeiro grupo de 15 alunos, alguns com 60 anos ou mais, mas também há jovens com 35 anos, garante o presidente da ATAHCA. A próxima formação começa a 9 de agosto e vão decorrer até 21 de fevereiro de 2021.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados