Major recusou diamantes de capitão, escassez de seringas em 2022 e outros destaques TSF

Portugal pode estar a entrar na 5.ª vaga da pandemia. É o que dizem os especialistas que defendem o reforço da vacinação em grupos etários onde os novos casos têm aumentado.

Foi um major do Exército português que, em missão na República Centro-Africana, denunciou uma rede de tráfico a um comandante, tendo-lhe entregue oito diamantes. A denúncia deu origem à operação Miríade e é avançada esta terça-feira pelo Público, que explica que foi aliciado por um capitão da mesma unidade para participar na operação de tráfico, mas não aceitou.

A pandemia ainda não acabou e a Organização Mundial da Saúde já alertou para uma possível escassez de seringas em 2022, devido aparentemente à excessiva procura causada pela campanha global de imunização contra a Covid-19.

Em Portugal, especialistas da Faculdade de Ciências admitem que o país pode estar a entrar na 5.ª vaga da pandemia e defendem o reforço da vacinação em grupos etários onde os novos casos têm aumentado, mesmo que tenham baixo risco de doença grave.

De Portugal para Bruxelas. O vice-presidente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis afirmou, no final da reunião do Ecofin, que Bruxelas já dispõe de uma data indicativa para receber um novo plano orçamental, depois da rejeição do primeiro documento pela Assembleia da República, indicando que "de acordo com a timeline apresentada aos ministros, pode acontecer em março do próximo ano".

De volta a Portugal. A coordenadora do Bloco de Esquerda defendeu que um acordo escrito entre o governo PS e os partidos de esquerda teria trazido estabilidade governativa ao país, lembrando que o seu partido "propôs um acordo escrito em 2019 que, infelizmente, o Partido Socialista, recusou".

Já o líder parlamentar do PCP, João Oliveira, considerou que uma vitória do PS com maioria absoluta nas eleições legislativas antecipadas vai impedir a concretização de propostas para resolver os problemas do país durante a próxima legislatura.

No PSD, Rui Rio, avançou que não pretende ir a debates com Paulo Rangel para as eleições internas do partido, porque "em cima das legislativas pode ser prejudicial para o partido". O presidente do partido referiu que não irá fazer campanha para as diretas de 27 novembro para se concentrar nas eleições legislativas e na oposição ao PS e Governo. Em resposta, Paulo Rangel saudou o adversário, Rui Rio, por querer "finalmente fazer oposição" ao primeiro-ministro António Costa, defendendo que é isso que a sua candidatura já tem feito.

Destaque também para as confederações patronais que se manifestaram disponíveis para retomar a agenda de trabalhos da Concertação Social, nomeadamente a discussão do aumento do salário mínimo nacional para 2022.

Por fim, a história de um homem de 74 anos que vive solitário num largo remoto nas Terras Altas da Escócia. Foi há quase 40 anos que trocou a vida convencional por este estilo de vida, a duas horas a pé da estrada mais próxima, em Rannoch Moor, perto do lago Loch Treig.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de