PSP apresenta queixa ao MP por incumprimento do local de manifestação das forças de segurança

A TSF sabe que o Comando Metropolitano de Lisboa vai apresentar uma queixa ao Ministério Público, uma vez que a manifestação estava apenas autorizada para ser realizada junto do Parlamento.

A manifestação dos elementos das forças de segurança pertencentes ao movimento Zero, que decorre desde o final a manhã, quando se concentraram junto à Assembleia da República, já levou ao encerramento parcial do trânsito no centro de Lisboa.

Após se deslocarem já durante a tarde do Parlamento para o Ministério da Administração Interna, reuniram-se cerca de 10 minutos na Praça do Comércio (eram cerca 17h20), tendo depois continuado a desfilar pela Rua do Ouro, Rossio e Avenida da Liberdade até ao Marquês de Pombal, onde a polícia foi obrigada a cortar parcialmente o trânsito.

Fonte do Comando Metropolitano de Lisboa confirmou à TSF que vai apresentar uma queixa ao Ministério Público, uma vez que a manifestação estava apenas autorizada para ser realizada junto do Parlamento.

Ao longo do percurso desde o Parlamento, gritaram palavras de ordem como "Zero", "Cabrita rua", referindo-se ao ministro da Administração Interna, a quem também foram dirigidos vários insultos.

Os manifestantes exigem a atribuição do subsídio de risco e a atualização salarial. Com o lema "hora de agir - unidos somos a tempestade que os atormenta!" a concentração é organizada pelo movimento inorgânico Zero, que surgiu nas redes sociais, e que congrega elementos da PSP e da GNR.

Entre os principais problemas que os elementos das forças de segurança está a atribuição do subsídio de risco que o Governo prometeu até ao final do mês de junho e a atualização dos índices remuneratórios das tabelas salariais.

Nesta concentração estão ainda presentes alguns dirigentes dos sindicatos menos representativos da PSP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de