Marcelo faria tudo igual no OE, Ferro alerta para data de eleições e outros destaques TSF

Chefe de Estado ouve esta quarta-feira o Conselho de Estado sobre a dissolução da Assembleia da República. A cerca de 24 horas da reunião, defende que se não tivesse avisado para a crise política, ver-se-ia questionado pelos portugueses.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, garantiu esta terça-feira que faria tudo "exatamente" igual na forma como alertou o país para as dificuldades em torno do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) e garante que prefere ser "criticado por ter feito isso na altura devida de forma insistente a ser criticado por omissão". Questionado pela TSF sobre se repetiria o mesmo aviso e nos mesmos termos sobre a negociação do OE2022, Marcelo respondeu: "Sim, exatamente."

Ainda na sequência da crise política, o presidente da Assembleia da República transmitiu ao Presidente da República que a data das legislativas "não seria irrelevante" para a situação interna de alguns partidos, referindo-se a eleições em "final de janeiro ou início de fevereiro".

Já a Federação Nacional da Educação (FNE) e a Federação Nacional dos Professores (Fenprof) anunciaram que desconvocaram a greve nacional marcada para esta sexta-feira, 5 de novembro. Em declarações à TSF, o secretário-geral da FNE, João Dias da Silva, dá conta de que as reivindicações dos professores mantêm-se, mas os professores vão agora esperar por um novo interlocutor por parte do Governo, num momento em que a Assembleia da República estará prestes a ser dissolvido.

Miguel Mattos Chaves, vogal da Comissão Política Nacional do CDS, aplaude a saída de alguns militantes do partido e saúda a entrada dos que defendem um partido por pessoas e não por grupos globalistas e LGBT.

Em Espanha, a erupção do vulcão Cumbre Vieja, na ilha de La Palma, soma 43 dias de duração e parece estar para continuar por tempo indeterminado. A erupção do vulcão San Juan, na mesma ilha, também se caracterizou por ser do tipo estromboliana, alternando fases explosivas com períodos de calmaria, em que se libertam grandes quantidades de piroclastos e lava, explica o biólogo e espeleólogo Francisco Govantes Moreno, no livro "A Caverna de Las Palomas", citado pela agência Efe.

Por cá, os Açores vão ser atingidos, entre quarta e quinta-feira, por aerossóis sulfato saídos do vulcão. Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), este fenómeno pode fazer aumentar as concentrações de dióxido de enxofre à superfície e provocar uma diminuição da visibilidade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de