Maternidade Alfredo da Costa não fecha bloco de partos, os resultados da TAP e outros destaques TSF

A chegada de mais um navio com gás russo ao porto de Sines, o terceiro desde o início da guerra na Ucrânia, é outro dos destaques da manhã informativa desta terça-feira.

Afinal, o bloco de partos da Maternidade Alfredo da Costa (MAC) não vai encerrar nos próximos dias. A "boa notícia" foi dada pelo diretor de Ginecologia e Obstetrícia, Ricardo Mira, ao final da manhã, numa declaração aos jornalistas em que garantiu que, graças ao "esforço enorme" dos profissionais de saúde, é possível garantir o funcionamento daquele serviço até ao final do mês.

A marcar a manhã informativa desta terça-feira está o resultado líquido da TAP que, apesar de ser "claramente negativo", mostra que os prejuízos da companhia diminuíram no primeiro semestre deste ano para 202,1 milhões de euros, face ao valor negativo de 493,1 milhões de euros obtido em igual período do ano passado.

Resultados que a presidente executiva, Christine Ourmières-Widener, considerou serem melhores do que o previsto no plano de reestruturação.

A chegada de mais um navio com gás russo ao porto de Sines, o terceiro desde o início da guerra na Ucrânia, é outro dos destaques na manhã noticiosa da TSF.

Ao mesmo tempo, e numa altura em que a guerra completa seis meses, teme-se um aumento dos ataques russos. O alerta é da Embaixada dos Estados Unidos na Ucrânia que advertiu que a Rússia pode atacar "nos próximos dias" infraestruturas civis e edifícios governamentais e recomendou aos cidadãos do país que "saiam da Ucrânia".

Em Angola, onde 14 milhões de cidadãos estão quase a ser chamados às urnas para escolher quem ocupará o lugar de Presidente do país, o pulsar das ruas vai mostrando a realidade do país. Em Luanda, é na rua, na beira dos passeios ou no meio do pó entre poças de água e esgoto que se vendem doses minimalistas de qualquer coisa, desde sapatos sem par a pirâmides de laranjinhas ou até água em saquinhos de plástico "porque é mais barato".

A campanha eleitoral encerrou esta segunda-feira, com o MPLA e a UNITA, as duas opções com mais apoio, a reunirem milhares de pessoas nos comícios de encerramento.

Por cá, destaque para o incêndio que deflagrou no domingo na Samardã, em Vila Real, e que sofreu esta terça-feira uma "reativação forte" na zona da serra do Alvão, tendo sido já acionados oito meios aéreos para o combate.

Em declarações à TSF, o autarca de Vila Real, Rui Santos, admitiu pedir a declaração de estado de calamidade, na sequência dos incêndios. "Essa solicitação está nos nossos horizontes, mas primeiro temos que ter uma perceção mais exaustiva daquilo que se passou nestes últimos três dias. Queremos ter a perceção de quais são, em concreto, os prejuízos", explicou.

A marcar também o dia está o número de desempregados inscritos no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) que no final de julho era de 277.466, o "valor mais baixo desde que há registo", sendo menos 91.238 do que no período homólogo.

A fechar, um olhar para Júpiter, através do telescópio espacial James Webb. As duas novas imagens divulgadas são "surpreendentemente precisas", mostram tempestades gigantes e ventos extremos e oferecem aos cientistas novas pistas sobre a vida interna deste planeta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de