Matosinhos quer esclarecimentos da Galp por "descargas poluentes" numa praia

Presidente da câmara revelou ter enviado uma carta formal ao presidente da Galp.

A Câmara Municipal de Matosinhos pediu esclarecimentos à Galp pela "descarga de produtos poluentes de hidrocarbonetos" no sábado, na Praia do Aterro, repudiando a situação e exigindo o apuramento dos responsáveis.

Durante a reunião pública do executivo municipal, e depois de o assunto ter sido levantado pelo vereador da Proteção Civil, José Pedro Rodrigues, a presidente da câmara, Luísa Salgueiro, revelou ter enviado uma carta formal ao presidente da Galp e ao diretor da refinaria, instalada neste concelho do distrito do Porto, exigindo explicações sobre a descarga.

"Não é aceitável que uma situação destas volte a acontecer", considerou.

A socialista, manifestando repúdio pelo sucedido, referiu que tal como a câmara tem de responder perante a população, também a refinaria o deve fazer. Revelando ter comunicado a ocorrência às autoridades competentes para verificar se existe matéria criminal, a autarca adiantou que, no sábado, técnicos da refinaria foram ao local e explicaram que tinha havido uma situação "anómala" de transbordo.

Mas, apesar dessa, Luísa Salgueiro vincou querer uma resposta oficial e o apuramento de toda a situação, assim como o delineamento de medidas para evitar futuras ocorrências. Por seu lado, José Pedro Rodrigues revelou que o alerta para a descarga de "produtos poluentes de hidrocarbonetos" foi detetada pelas 16h50, pelo Serviço de Salvamento Balnear da Proteção Civil, e "tudo indica" que teve origem na refinaria.

Dizendo que não é a primeira vez que situações destas se verificam, o vereador da CDU assumiu que as consequências são sérias. A refinaria de Matosinhos é um ativo da Petrogal, empresa do grupo Galp Energia.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados