Médicos de família alertam que há doentes a ficar para trás

Numa carta aberta, médicos assumem-se exaustos e alertam que as tarefas associadas à pandemia impedem de atender os doentes.

Os médicos de família escreveram uma carta aberta aos portugueses, em que pedem que os deixem voltar a ser médicos de família.

Nesta carta, a que a TSF teve acesso, os médicos dos centros de saúde sublinham que as tarefas que, há meses, lhes são pedidas por causa da pandemia, os impedem de atender os respetivos doentes. Por isso, alertam os médicos, há doentes a ficar para trás no que respeita aos cuidados de saúde primários.

Ouvido pela TSF, Nuno Jacinto, presidente da Associação Portugal de Medicina Geral e Familiar, sugere o envolvimento dos hospitais na vacinação. O clínico acredita que esta é uma forma de dar aos médicos de família tempo para cumprirem as tarefas que lhes competem.

Nuno Jacinto afirma que os médicos de família estão exaustos.

O presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar insiste ainda que é preciso reforçar as equipas dos centros de saúde.

A Covid-19 provocou, pelo segundo dia consecutivo, mais 16 mortos em Portugal. O último boletim da DGS revela ainda que, nas últimas 24 horas, 3794 testaram positivo ao coronavírus.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de