"Medida séria e justa era a diminuição do ISP." AUTOvoucher é "tapar o sol com a peneira"

A Associação Nacional de Revendedores de Combustível defende que o setor vive dificuldades que fazem com que sejam necessários apoios específicos para que a distribuição não encareça tanto.

João Durão, vice-presidente da Associação Nacional de Revendedores de Combustível, considera que o AUTOvoucher, que nesta quarta-feira arranca para os consumidores, "é alguma coisa, mas muito pouco". Ouvido no Fórum TSF, o representante da Anarec critica esta iniciativa do Governo comentando que "é melhor do que nada, mas é um programa muito curto".

"Para nós, revendedores... Nós aderimos, de um modo geral, e colaboramos com o Governo na implementação deste programa", refere João Durão, que, no entanto, considera a medida "muito curta", e, "no fundo, quase tapar o sol com a peneira".

Por isso, o setor pede uma outra medida: "A nossa luta será a diminuição do ISP, uma vez que, por exemplo, na fronteira, estamos com informações de que ninguém da população vai aderir, uma vez que do lado de lá continua a haver combustíveis mais baratos." Embora reconhecendo que, para os revendedores, "tudo o que vier é bom, dadas as dificuldades" por que estão a passar, João Durão lembra que nas fronteiras, o problema mantém-se e reforça que "o problema é a carga fiscal".

O representante da Anarec apela a que sejam desenhadas medidas diretamente aplicadas aos revendedores, até porque a atividade vive obstáculos muito próprios. "Temos o problema de os combustíveis serem caros, quando andamos na distribuição. Nós, que somos também distribuidores de gás, também temos esse problema."

"O próximo Governo que vier vai ter de reunir com a Anarec e vai ter de tomar medidas que se notem", avisa João Durão. Mesmo os 300 milhões de euros para apoiar as empresas de transportes coletivos e o aumento de 20% nas despesas de combustível, que depois é obtido em sede de IRC, parecem "curtos" ao vice-presidente da Associação Nacional de Revendedores de Combustível.

João Durão assinala que a atividade sente-se "discriminada", já que o gás está "caro" porque os combustíveis "estão caros" e a distribuição vê assim o seu preço elevado. "Uma medida séria e justa era a diminuição do ISP", exorta, portanto.

Apesar da contestação, 1700 postos de combustível já aderiram à iniciativa do AUTOvoucher, na sua maioria associados da Anarec.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de