Medidas de combate à pandemia nos Açores são "coerentes"

Foi anunciado que os restaurantes e cafés da ilha de São Miguel vão encerrar, a partir das 00h00 de sexta-feira, sendo que o ensino continuará a ser feito à distância em toda aquela ilha.

O presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, defendeu esta quarta-feira que as medidas de combate à Covid-19 na região são "coerentes", "previsíveis", "cientificamente fundadas" e as "suficientes" para controlar a pandemia caso sejam "integralmente cumpridas".

"Renovo o apelo: cada um cuide da sua saúde e seja prudente. Mais vale ser excessivo nessa prudência do que negligente na ação. Porque assim estamos a tratar da saúde de todos", começou por dizer o líder regional.

E acrescentou: "É o apelo que o Governo [Regional] pode fazer. Porque as suas medidas, elas são coerentes, previsíveis e cientificamente fundadas e têm um objetivo comum: a saúde pública".

O social-democrata José Manuel Bolieiro falava esta quarta-feira em Ponta Delgada após a reunião do Conselho Permanente de Concertação Social.

Esta quarta-feira, foi anunciado que os restaurantes e cafés da ilha de São Miguel vão encerrar, a partir das 00h00 de sexta-feira, sendo que o ensino continuará a ser feito à distância em toda aquela ilha.

Na terça-feira, a ilha de São Miguel entrou para o patamar de alto risco de contágio da Covid-19, tendo o presidente do Governo Regional dito nesse dia que a situação pandémica nos Açores estava controlada.

Questionado sobre a possível incoerência das declarações, José Manuel Bolieiro salientou que a "liberdade de pensamento permite dizer tudo", mas que "nem tudo o que se diz corresponde à verdade".

"Nós temos oito ilhas praticamente Covid-free, temos agora aqui também uma situação na ilha Terceira. Temos uma ilha, São Miguel, a mais populosa, onde há agora um surto significativo, preocupante, responsabilizante e que tem merecido da nossa parte todas as medidas mais exigentes", afirmou.

O presidente do executivo açoriano destacou que as medidas de combate à pandemia são "fundadas em base científica", uma vez que o Governo dos Açores criou uma comissão de acompanhamento à pandemia composta por especialistas em saúde pública.

"Se as regras forem cumpridas, elas são suficientes e estão fundadas em base cientifica. A grande expressão que quis com este governo lançar no âmbito da saúde publica foi [que] nós estamos rodeados de especialistas", assinalou, referindo que as medidas não são criadas por "intuição".

Sobre o processo de vacinação contra a Covid-19, Bolieiro salientou que "não há vacinação sem vacinas" e que o atraso na entrega das vacinas é um "problema" para toda a União Europeia.

"Nós somos cumpridores, mas muito diligentes e pró-ativos na oportunidade de podermos o mais rapidamente possível ter todos os açorianos vacinados e adquirir imunidade comunitária. É esse o nosso plano. Não esperamos acontecer. Estamos fazendo por acontecer", apontou.

A 22 de março, foi revelado que o vice-presidente do executivo dos Açores, Artur Lima, pedira ao Governo da República para invocar o acordo bilateral com os Estados Unidos para obter o fornecimento de vacinas aos açorianos contra a Covid-19.

A partir das 00h00 de sexta-feira, todos os concelhos da ilha de São Miguel ficam sujeitos a proibição de circulação na via pública entre as 20h00 e as 05h00 do dia seguinte durante a semana e entre as 15h00 e as 05h00 ao fim de semana.

Os Açores têm atualmente 343 casos ativos de infeção pelo coronavírus que provoca a doença Covid-19, dos quais 340 em São Miguel, dois na ilha Terceira e um nas Flores.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de