Migrantes desembarcam na Ilha Deserta e tentam fugir

Este é o sexto de desembarque ilegal na costa algarvia envolvendo migrantes do Norte de África.

Um grupo de migrantes desembarcou, esta terça-feira, na Ilha Deserta, em Faro, tentando fugir de seguida. As autoridades capturaram, pouco depois, os 28 migrantes.

O alerta foi dado pelos banhistas que se encontravam na praia, que asseguraram que os migrantes ilegais procuraram fugir quando chegaram a terra.

Segundo o comandante da Zona Marítima do Sul, o grupo de 28 migrantes, alegadamente proveniente de Marrocos e que inclui três mulheres, estava às 17h00 "em trânsito para o cais comercial de Faro a bordo de embarcações da Polícia Marítima e da GNR".

Quando chegar a terra, o grupo seguirá de autocarro para a Base de Apoio Logístico de Quarteira, onde será sujeito à realização de testes de despiste à Covid-19, prevendo-se que seja depois entregue ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

Em declarações à TSF, o comandante Rocha Pacheco adiantou que quando a Polícia Marítima chegou ao local, já os migrantes estavam em fuga.

"Tivemos a confirmação de populares na ilha de que estaria a ser feito um desembarque de migrantes. Divergimos diversos meios para o local, e detetamos a embarcação já na costa, com os migrantes em fuga", disse.

Rocha Pacheco lembra que na Ilha Deserta os migrantes não têm hipótese de fuga, a não ser por via marítima, o que facilitou o trabalho das autoridades. Na operação estiveram também envolvidos elementos da Unidade de Controlo Costeiro da GNR.

Migrantes encaminhados para a Base de Apoio Logístico do Algarve em Quarteira

Em comunicado, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras confirma a chegada de 28 migrantes, que "foram instalados na Base de Apoio Logístico do Algarve, em Quarteira."

"Será assegurada a realização dos testes à Covid-19 e garantida a assistência humanitária, em particular as necessidades básicas de alimentação e assistência médica", lê-se na nota do SEF enviada às redações.

O SEF acrescenta que o grupo que chegou ao Algarve numa frágil embarcação integra "24 adultos do sexo masculino, três do sexo feminino, uma das quais grávida, e um menor".

Os migrantes serão ouvidos em pelas autoridades judiciais na quarta-feira.

Este é o sexto de desembarque ilegal na costa algarvia envolvendo migrantes do Norte de África.

O mais recente caso ocorreu em julho, quando um grupo de 21 homens, alegadamente marroquinos, desembarcaram na ilha do Farol, também no concelho de Faro.

Notícia atualizada às 18h33

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de