Ministério Público acusa médico do Hospital de Guimarães de homicídio por negligência

Médico não terá analisado "cuidadamente" nem interpretado "de forma correta" uma radiografia abdominal da vítima.

O Ministério Público (MP) acusou um médico do Hospital de Guimarães de homicídio por negligência, por ter dado alta a uma doente que viria a morrer no mesmo dia, em casa, vítima de uma peritonite.

Segundo nota publicada esta quarta-feira na página da Procuradoria-Geral Regional do Porto, o MP considera que o médico "não analisou cuidadamente, nem interpretou de forma correta", a radiografia abdominal que a vítima fizera no serviço de urgência e que apresentava "imagens sugestivas de pneumoperitoneu".

Para o MP, a radiografia, conjugadamente com os restantes sintomas da vítima, impunha a realização de uma TAC como exame complementar de diagnóstico.

"Se o arguido tivesse determinado a realização de tal exame, seria seguramente detetada a existência de uma peritonite por perfuração de víscera oca à vítima e, consequentemente, teria sido realizado procedimento operatório imediato", acrescenta.

O caso remonta à manhã de 27 de fevereiro de 2015, quando o arguido se encontrava em funções no serviço de urgência do Hospital de Guimarães e deu alta a uma doente que apresentava queixas de dor abdominal severa, com quinze dias de evolução.

A vítima veio a morrer, já em casa, perto das 23:00 desse mesmo dia, de uma peritonite, por se ter agravado o seu estado de saúde.

Peritonite é a inflamação do peritónio, o revestimento da parede interior do abdómen e dos órgãos abdominais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de