Ministério Público instaura inquérito a caso de bebé abandonado no Cacém

O bebé com menos de um mês foi deixado junto ao Centro Social Baptista. Dormiu "um sono de anjo" na ambulância dos bombeiros que o levou ao hospital Amadora-Sintra.

Um bebé, com cerca de 20 dias, foi recolhido na noite de terça-feira junto ao Centro Social Baptista, no Cacém, no concelho de Sintra. A TSF confirmou que o Ministério Público (MP) já ordenou a abertura de um inquérito.

O MP informa ainda que comunicou os factos ao Tribunal de Família e Menores de Sintra.

De acordo com fonte da PSP, foram os funcionários do Centro Social que deram o alerta às autoridades. À TSF, o comandante dos Bombeiros de Agualva-Cacém conta que alguém se apercebeu de que havia um bebé a chorar sozinho na rua.

"Os bombeiros receberam o alerta às 22h30 para uma criança na via pública. Encontrámos um bebé dentro de uma cesta, estável, a dormir e com temperatura corporal normal, o que significava que não estava há muito tempo na exposição ao frio", revela.

O bebé estava "todo vestidinho, tinha um biberão, um iogurte e uma carta escrita pela mãe". A carta, escrita na primeira pessoa, revelava que a mãe, a passar por grandes dificuldades, viu-se obrigada a entregar o filho para adoção.

"O que nos transmite é que a mãe é uma mãe apaixonada - como qualquer mãe é, e esta também - só que em situação adversa, optou por esta situação", defende o comandante. O sinal que chegou aos bombeiros foi o de uma mãe em desespero, porque a criança estava "bem tratada, cuidada e até a pele da cara tinha creme para proteger a pele".

Depois de recolhido, o bebé foi levado ao Hospital Amadora-Sintra. O caminho fê-lo a dormir, num "sono de anjo".

"Nunca chorou. Levámo-lo na ambulância, mas a criança nunca chorou. Demos-lhe o maior carinho que pudemos dar, a parte humana é fundamental", reforça Francisco Rosado, que destaca ainda a "alegria que se sente ao poder ajudar a criança".

Esta é uma história feliz, mas que revela um grande desespero e, confrontados com esta situação, os bombeiros deixam um apelo a mães que possam estar na mesma situação: o de que peçam ajuda.

"As mães com dificuldades devem recorrer à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens, à Polícia de Segurança Pública e pedir ajuda para evitar situações como esta. Muitas delas não têm este final feliz em que a criança sobreviveu e depois temos situações a lamentar", reconhece. "Têm de recorrer às entidades que as podem ajudar."

O Centro Social Baptista (CSB) é uma Fundação criada pela Igreja Evangélica Baptista do Cacém para serviço à comunidade.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de