Ministro alerta para as responsabilidades das autarquias na poupança de água

Matos Fernandes defende que as águas residuais dos esgotos devem ser tratadas e usadas para "regar campos de golfe e culturas permanentes".

Se Portugal "tem menos água, também a utilização que fazemos dela tem de ser menor". O alerta é do ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, frisando que a mudança passa "pela vida de cada um", mas também pela forma como as autarquias lavam as ruas e cuidam dos seus jardins, por exemplo".

"A água residuais dos esgotos, devidamente tratadas, devem ser usadas para regar campos de golfe e culturas permanentes, na agricultura", defendeu o ministro, numa mensagem partilhada com a ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque.

A falta de água é um problema sem fim à vista no país e, por isso, a "aprovação de projetos futuros, seja de que setor forem, tem sempre, mas sempre, de contemplar o stress hídrico em que nos encontramos".

Em 2018, a média de perda de água em Portugal continental situou-se nos 128 litros diários por cada ramal - que é, contudo, uma evolução face a 2017, quando se registou uma média de 137 litros desperdiçados todos os dias.

Autarquias dizem que o principal problema está na redes de abastecimentos, envelhecidas e de difícil manutenção

De acordo com o último Relatório Anual dos Serviços de Águas e Resíduos em Portugal, realizado pela Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR), 81 de 256 entidades gestoras apresentam um desempenho insatisfatório, correspondendo a cerca de 30%.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de