Moedas diz que chuva faz "parte das mudanças climáticas" e promete túneis de drenagem

Segundo o autarca, a obra dos túneis de drenagem já se fala há 20 anos.

O presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas (PSD), disse esta quinta-feira que as intensas chuvas que provocaram inundações na capital portuguesa fazem "parte das mudanças climáticas", e prometeu a construção de dois túneis de drenagem até 2025.

"As mudanças climáticas levam-nos a acreditar que estas mudanças são terríveis. Temos de lutar para mudar esta situação e foi por isso que hoje [quarta-feira] aprovámos na Assembleia Municipal todo o orçamento que vai permitir fazer os grandes túneis de drenagem", adiantou à imprensa.

Segundo Carlos Moedas, a obra dos túneis de drenagem já se fala há 20 anos.

"(...) Nós consignámos a obra. Vai começar em março. Vamos começar a escavar este túnel que vai estar a 70 metros de profundidade e que levará todas as águas da bacia até Santa Apolónia. Vamos evitar estas cheias de uma vez por todas", salientou.

"É uma obra que vem de trás, mas agora sim vamos começá-la. Temos cá as máquinas, temos tudo o que é necessário. Vamos arrancar já", acrescentou, revelando que será construído "um que vai de Campolide até Santa Apolónia e outro que vai de Chelas ao Beato".

O autarca disse ainda que a situação em Alcântara é a mais complicada, mas também é grave nas zonas do Campo Grande, Campo Pequeno, Baixa, Avenida de Berna e Avenida Cinco de Outubro.

"Neste momento temos de resolver a situação das pessoas em concreto. Falei com os 24 presidentes de junta de freguesia. Foi o que estive a fazer. (...) Vamos estar no terreno toda a noite", acrescentou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de