"Momento alto para a cidade." Coletividades de Lisboa satisfeitas com aprovação de apoios para as marchas

Para as coletividades de Lisboa, as marchas na noite de Santo António são como pão para a boca.

É com agrado que as coletividades de Lisboa recebem a notícia de que a autarquia aprovou os apoios para a realização das marchas populares. Na quarta-feira à noite, a câmara aprovou por unanimidade o apoio às coletividades que participam nas marchas populares. Pedro Franco, presidente da Associação das Coletividades de Lisboa, conta que cada marcha vai receber 30 mil euros. Podia ser mais, mas esta já é uma boa ajuda.

"As próprias marchas, durante estes dois anos, foram recebendo algumas verbas. Em 2020 já tínhamos tudo preparado para as marchas. A vereadora na altura, Catarina Vaz Pinto, deu 7500 euros a cada marcha por que já tinham tido custos, pagado letras. Em 2021, como também não houve marchas, a vereadora deu 15 mil euros a cada marcha e agora dão mais 30 mil euros. Se forem poupadinhas, estes ano têm condições para apostar", explicou à TSF Pedro Franco.

Para as coletividades de Lisboa, as marchas na noite de Santo António são como pão para a boca.

"De facto, as festas de Lisboa são um momento alto para a cidade. As marchas populares e os arraiais são como pão para a boca, ajudam bastante as coletividades", acrescentou o presidente da Associação das Coletividades de Lisboa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de