Morreu D. Manuel Vieira Pinto, bispo que dialogou com a revolução marxista-leninista em Moçambique

Após a independência de Moçambique regressou a Nampula, onde estabeleceu uma posição moderadora sob a orientação do Presidente Samora Machel.

A morte colheu-o, aos 96 anos, esta quinta-feira, 30 de Abril, na residência sacerdotal da diocese do Porto. D. Manuel Vieira Pinto. Foi arcebispo de Nampula, em Moçambique durante 34 anos.

O seu nome ficará na história daquela antiga colónia portuguesa pela sua determinação na defesa da independência política daquele Estado africano. Por isso foi expulso pela PIDE, a polícia política portuguesa, em 14 de Abril de 1974.

Após a independência, o arcebispo católico regressou a Nampula, onde estabeleceu uma posição moderadora dos ímpetos da revolução marxista-leninista, sob a orientação do Presidente Samora Machel.

Nesta entrevista, registada em 2002, em Amarante, terra natal do prelado, D. Manuel Vieira Pinto faz revelações inéditas da sua actuação como bispo missionário que lhe mereceu ser condecorado pelo Presidente Mário Soares. Nunca seria homenageado pelos bispos católicos de Portugal e Moçambique.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de