Mortes por cancro vão ter "subida exponencial". Doentes foram "esquecidos" durante pandemia

A Liga Portuguesa contra o Cancro acusa os decisores de só olharem para a Covid-19 e não proporcionar rastreios e cuidados aos doentes oncológicos.

O presidente do núcleo regional do Norte da Liga Portuguesa contra o Cancro antevê um aumento exponencial da mortalidade associada ao cancro. Ouvido, esta manhã, no Fórum TSF, Vítor Veloso falou em muitos atrasos nos rastreios e tratamentos.

"Não temos dúvida nenhuma de que a mortalidade por cancro vai aumentar substancialmente. Nos próximos anos, vamos ver que isso vai acontecer de uma maneira exponencial", prevê. "É o que vai acontecer."

Vítor Velosos defende que o Governo não pode olhar só para a pandemia de Covid-19 e pede mais atenção à situação complicada dos doentes oncológicos.

"Temos de pensar que há muito para além da Covid", insiste. "Há inúmeros doentes que não foram tratados até agora devidamente, estão em lista de espera - não têm exames de diagnóstico, não têm consultas, não aparecem nos hospitais (...). Foram quase completamente esquecidos", critica. "Foram ultrapassados todos os limites."

A Liga Portuguesa contra o Cancro lembra que que é "fundamental" que uma doença oncológica seja "tratado em tempo útil" e que é preciso "arranjar meios alternativos de colmatar aquilo que até aqui faltou".

Além disto, Vítor Veloso considera ainda que, no que toca à Covid-19, os doentes com cancro têm de ser considerados prioritários na toma da vacina. "Não se esqueçam da vacinação!", apelou.

*com Manuel Acácio e Rita Costa

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de