MP investiga post de sindicato de polícia sobre doenças de mulher agredida na Amadora

Trata-se de uma publicação do Sindicato Unificado da Polícia nas redes sociais que mostrava uma fotografia das mãos com ferimentos ligeiros do polícia, e que insinuava que a mulher agredida teria doenças graves.

O Ministério Público vai investigar o post do Sindicato Unificado da Polícia, que insinuava que a mulher agredida à saída de um autocarro na Amadora sofria de doenças graves.

A Procuradoria-Geral da República adiantou à TSF que recebeu uma queixa da Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial. A queixa foi então remetida para o Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa, que abriu um inquérito.

Em causa está uma publicação do Sindicato Unificado da Polícia de Segurança Pública nas redes sociais que mostrava uma fotografia das mãos com ferimentos ligeiros do polícia que alegadamente agrediu Cláudia Simões, de 42 anos, na Amadora, e que insinuava que a mulher agredida teria doenças graves. O post do sindicato já foi eliminado das redes sociais.

O caso das agressões ocorreu em janeiro. Em reação, Mariana Vieira da Silva anunciou no Parlamento ter intenção de investigar o caso. A Inspeção Geral da Administração Interna também abriu um processo administrativo ao Sindicato Unificado da Polícia de Segurança Pública.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de