"Não existem condições para prosseguir desconfinamento." Governo revela restrições

Incidência de novos casos de infeção por cem mil habitantes está, atualmente, nos 129,6.

A ministra da Presidência anunciou esta quinta-feira que não existem condições para prosseguir o plano de desconfinamento em Portugal, tendo em conta que o país se encontra "claramente na zona vermelha" da matriz de risco de controlo da pandemia.

"Portugal encontra-se, neste momento, claramente na zona vermelha da nossa matriz, pelo que não existem condições para prosseguir o plano de desconfinamento que estava previsto. Temos uma situação que é complexa e exige a atenção de todos. Quando olhamos para a dispersão territorial vemos que se boa parte do país se encontra com incidência abaixo dos limites que definimos, na AML, Alentejo e Algarve verificam-se níveis de risco mais graves", afirmou Mariana Vieira da Silva, no final do Conselho de Ministros.

Segundo disse, a incidência de novos casos de infeção por cem mil habitantes está, atualmente, nos 129,6 e o índice de transmissibilidade do vírus (Rt) nos 1,18 no território continental.

As restrições na Área Metropolitana de Lisboa foram renovadas. Mantém-se a proibição de entrada e saída, entre as 15h00 de sexta-feira e as 06h00 de segunda-feira, salvo as exceções previstas na lei e pode-se circular com teste negativo ou certificado digital.

Segundo Mariana Vieira da Silva, os concelhos de Lisboa e Albufeira vão acompanhar Sesimbra e recuam no desconfinamento, implicando o encerramento, aos fim de semana, da restauração e similares e do comércio a retalho não alimentar às 15h30 e dos supermercados e retalho alimentar às 19h00.

Os supermercados em Lisboa vão passar a fechar às 19h ao fim de semana. Os restantes horários são para manter como previsto, dependendo do risco do concelho. Há casos em que a restauração tem a última entrada possível à meia-noite e saída à 1h, outros em que os restaurantes têm de fechar às 22h30 e ainda um terceiro caso em que há restrições ao fim de semana, mas Mariana Vieira da Silva insistir que "não há nenhuma alteração de horário face ao que estava previsto".

A ministra apela também ao "cumprimento das regras" sanitárias. Sobre o desporto, o recuo de alguns concelhos implica o "encerramento de algumas instalações desportivas", enquanto noutros pode haver público em competições amadoras.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de