Não há postais de Furamontes

Numa rua de Campanhã, há quem diga "amanhã, vou ao Porto!". Quem lá vive, já desistiu do futuro.

À pergunta "qual é o sítio do Porto que não integra o roteiro de nenhum guia?", o sociólogo José António Pinto, que todos conhecem, no Porto, por "Chalana", responde "a travessa de Furamontes, na freguesia de Campanhã.

Numa conversa na tarde TSF, este técnico que há mais de vinte anos, trabalha com estas populações, fala de um sentimento de descrença de uma população mais velha, e da falta de projetos para melhorar o território.

Se for necessário ir a Furamontes buscar os residentes, num autocarro, para um passeio, não é possível, apesar de haver uma via rápida que liga o Porto a Gondomar, a poucos metros do bairro.

José António Pinto desabafa que "só quando o poder económico sentir que pode ganhar algo aquela área", é que poderá haver algum impulso.

Pela conversa, passou ainda uma memória distante de uma vontade separatista da população, que queria criar uma nova freguesia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de