"Não posso confirmar." Comissão de abusos sexuais recusa comentar caso do Patriarcado de Lisboa

Pedro Strecht revela que a comissão já recolheu 362 testemunhas de abusos sexuais

A Comissão Independente para o Estudo dos Abusos Sexuais Contra Crianças na Igreja recolheu, até ao momento, 362 testemunhos de casos em Portugal.

Esta quinta-feira, o Observador revelou um caso em que o patriarcado de Lisboa teve conhecimento de uma situação de abusos sexuais e não reportou às autoridades. Face às questões dos jornalistas, o coordenador da comissão, Pedro Strecht, é claro: "Não posso confirmar. Estar-lhe-ia a dar a resposta que não posso dar."

As declarações foram feitas à margem de uma audiência com o Presidente da Assembleia da República.

"Nesta altura vamos com 362 testemunhas ou depoimentos que, como também temos referido para trás, nos reportam sempre um número de vítimas muitíssimo maior porque em cada depoimento em muitos casos são referidas muito mais vítimas", refere Pedro Strecht.

Já sobre as participações ao ministério público, Pedro Strecht confirma que foram feitas 17 denúncias e que há quatro que já foram arquivadas. Há muitos casos que no ordenamento jurídico português também já terão prescrito e há, sobretudo, uma outra vontade da parte de muitas das vítimas.

"As vítimas preferem o anonimato, portanto mesmo tendo hipótese de avançar com outras questões ou mecanismos do ponto de vista legal, preferem não o fazer. Preferem sobretudo - e isso é que tem sido muito marcante no nosso estudo - esperar o pedido de desculpa, o pedido de perdão e a efetivação desse pedido por parte da Igreja Católica Portuguesa", explica.

Pedro Strecht lança ainda um apelo aos deputados: "Agora uma sugestão aos senhores deputados que aproveitem este tempo de agosto de regresso de emigrantes. Temos casos, como sabem, da emigração portuguesa para que junto das populações possam continuar a falar deste trabalho e da sua importância."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de