"Não vi jogadores feridos." Testemunhas do ataque a Alcochete começam a depor

A primeira testemunha a ser ouvida no julgamento do ataque a Alcochete foi um dos militares da patrulha deteve os primeiros suspeitos.

Tiago Mateus, militar da GNR e comandante da primeira patrulha chegar a Alcochete no dia do ataque à Academia, foi ouvido esta manhã no Tribunal de Monsanto.

O militar, foi informado pelo superior às 17h20, demorou menos de 10 minutos a chegar e descreve o que encontrou: "Quando chegámos, vimos indivíduos encapuçados a correr e a sair da Academia. Fomos à entrada e disseram-nos que já não havia ninguém lá dentro. Um BMW X3 tentou abalroar o carro patrulha para fugir. E nós voltámos para trás para apanhar os que conseguíssemos."

Depois de algumas detenções, regressou à academia onde diz "não vi nenhum jogador ferido, mas havia sangue no chão do balneário que estava todo revirado".

Esta terça-feira devem ser ouvidos mais militares da GNR, numa sessão com 25 dos arguidos presentes, mas sem Bruno de Carvalho dispensado das sessões no ontem por motivos profissionais e impossibilidade de deslocação.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de