Nas escolas de Vila Pouca de Aguiar quase não há absentismo e abandono

Aplicação de medidas como a "Falta na Hora", um conjunto de apoios a quem mais precisa e a adequação da oferta formativa têm sido decisivos no sucesso alcançado.

A aplicação de um conjunto de medidas de apoio e a adequação da oferta formativa, ao longo dos últimos anos, levou a que, de acordo com os dados do ano letivo 2019/2020, o Agrupamento de Escolas de Vila Pouca de Aguiar tenha conseguido a taxa mais elevada, 94%, na conclusão do Secundário no tempo esperado por alunos com Ação Social Escolar (ASE). A taxa foi 76% em 2017/2018 e de 72% em 2018/ 2019, o que mostra uma evolução positiva constante.

Neste concelho do distrito de Vila Real, a chamada taxa de equidade entre alunos com ASE é 24% superior quando comparado com a média nacional apurada entre concelhos com contextos similares, no início do 10.º ano.

O Agrupamento de Escolas de Vila Pouca de Aguiar tem cerca de 1100 alunos. Quase metade são oriundos de famílias com dificuldades económicas, beneficia de ASE e têm acompanhamento permanente por um gabinete com profissionais de diversas áreas, numa relação de "empatia e confiança".

A lista de exemplos do esforço que este agrupamento de escolas tem feito para combater o absentismo e o abandono escolar é grande, mas o diretor, José Teixeira, elege um dos principais - a "Falta na Hora". Esta medida que denomina de "inovadora e inédita a nível nacional" é acionada logo de manhã pelo Gabinete de Apoio ao Aluno e à Família.

A "Falta na Hora" consiste em "efetuar contactos telefónicos aos Pais/Encarregados de Educação de alunos que se encontrem a faltar logo ao primeiro tempo letivo de cada dia", começa por explicar o diretor do Agrupamento de Escolas de Vila Pouca de Aguiar. O objetivo é "sinalizar na hora a situação que esteve na origem da não entrada do aluno" no edifício escolar.

A seguir, o diretor de Agrupamento toma conhecimento e efetua as "diligências necessárias e as medidas preventivas adequadas a cada situação". José Teixeira salienta que "a comunicação da falta na hora foi crucial para acabar com o absentismo e o abandono escolares" nos estabelecimentos de ensino do concelho.

O responsável acentua que "em vez de o pai/encarregado de educação estar à espera da reunião com o diretor de turma, passado muito tempo, para ter conhecimento do comportamento do seu educando, acaba por saber na hora e, quando o aluno, no final do dia, regressa a casa, pode conversar com ele e tomar atempadamente as medidas adequadas".

A "Falta na Hora" é apenas uma entre muitas medidas que têm contribuído para um percurso de sucesso, nomeadamente a conclusão do Secundário no tempo esperado por alunos com Ação Social Escolar. Uma delas é a comunicação imediata de casos de mau comportamento aos pais/encarregados de educação. "Os alunos sabem disso, pelo que é fortemente dissuasora do absentismo e do abandono escolar", realça José Teixeira. A implementação de tutorias com apoio personalizado a quem tem mais dificuldades também têm tido um papel importante no percurso de sucesso.

Outro projeto que o diretor considera inovador começou há oito anos: duas páginas semanais no jornal local "Notícias de Aguiar". Na sua opinião "permite uma perfeita ligação com a comunidade e a divulgação de tudo o que acontece no Agrupamento". Ora, como os alunos são chamados a participar nessas páginas acabam por procurarem o jornal de "forma entusiástica" para verem os seus trabalhos.

Mas a diversificação da oferta formativa para "corresponder aos interesses dos alunos e desenvolvimento do concelho", tem tido um peso importante. O diretor dá o exemplo do Curso de Cozinha/Pastelaria, criado em 2016 e concluído por 18 dos 21 alunos que o iniciaram (20 de 22 entre 2019 e 2022). "São taxas de sucesso de quase de 100%, mesmo muito superiores à média nacional", frisa.

José Teixeira assegura que a criação da Cozinha Pedagógica é um exemplo do empenho que a Câmara Municipal de Vila Pouca tem tido na política educativa do concelho, e muito antes de assumir as competências do Governo, sem o qual os bons resultados não teriam sido alcançados.
O presidente da Câmara de Vila Pouca de Aguiar, Alberto Machado, orgulha-se de poder dizer que o ensino no concelho tem vindo a "melhorar desde 2013 e sempre acima das médias nacionais". E, sobretudo, numa região com o menor rendimento per capita do país".

O objetivo é continuar a ser uma "Câmara Educadora", como a rotula José Teixeira, sendo que em primeiro lugar visa, assegura o autarca, "dar as mesmas oportunidades a todas as crianças do concelho".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de