"Neste momento, a Covid-19 não é um problema de saúde pública nacional", diz Jorge Torgal

Médico de saúde pública indica que, em termos de mortes e internamentos, a Covid-19 tem menor expressão do que a pneumonia, por exemplo.

Jorge Torgal é um dos nomes que assina a carta redigida por especialistas em Saúde que defendem novas abordagens de combate à Covid-19 e o fim das medidas extraordinárias de confinamento. O médico de saúde pública alega que o argumento das novas variantes, para manter as medidas restritivas, é uma falácia.

Médicos, professores catedráticos de saúde e a bastonária dos farmacêuticos propõem novas formas de responder à pandemia e defendem que as medidas extraordinárias de confinamento "já demonstraram não ter impacto", evocando a "reconquista do direito a viver", numa carta divulgada publicamente, esta sexta-feira.

O apelo já mereceu reação por parte da diretora-geral da Saúde, que considera que ainda é cedo para levantar restrições. No Fórum TSF, Graça Freitas afirmou que o vírus ainda é novo e que, antes de aliviar medidas, é preciso controlá-lo.

A diretora-geral da Saúde espera que o coronavírus se torne endémico, mas sublinha que é preciso que seja "com baixa incidência, ou seja, controlado", sob pena de se "pagar um preço muito alto" em termos de saúde".

"Quanto mais casos da doença houver, mais pressão há nestes dois sentidos: aparecem novas variantes e as variantes que aparecem escapam ao nosso sistema imunitário", argumentou.

Também no Fórum TSF, o médico Jorge Torgal respondeu às declarações de Graça Freitas, alegando que a questão do aparecimento de novas variantes é falaciosa.

"É uma total falácia. A nova variante que existe e que se difundiu é sensível às cinco vacinas que estão no mercado e, portanto, se e quando houver uma nova variante, teremos nova resposta e conseguiremos, certamente, modificar a vacina e fazer outras vacinas", sustenta.

Para Jorge Torgal, não se pode ter "uma sociedade parada" quando morrem, em média, "20 a 30 pessoas por semana" com Covid-19 e, na mesma semana, perdem a vida "90 pessoas por pneumonia".

"Neste momento, a Covid-19 não é um problema de saúde pública nacional, no respeitante aos internamentos e às mortes", atira.

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de