Novo Estatuto do SNS "revoluciona a organização dos cuidados de saúde em Portugal"

Lacerda Sales salienta que as pessoas precisam de respostas imediatas que só se conseguem "melhorando a integração e a articulação entre os cuidados de saúde".

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde António Lacerda Sales considera que o Novo Estatuto do SNS "revoluciona a organização dos cuidados de saúde em Portugal". O documento que foi aprovado esta quinta-feira em Conselho de Ministros vai ser submetido a consulta pública e a principal novidade é a criação de um regime de exclusividade que prevê dedicação plena dos médicos.

Em declarações aos jornalistas à margem das comemorações do Dia do Anestesiologista, promovidas pelo Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga, o governante defende que é necessário "fazer um esforço permanente para melhorar as condições de acesso dos nossos doentes e melhorar as respostas", sendo "uma das componentes a articulação e integração de cuidados, nomeadamente nos cuidados primários".

Lacerda Sales lembra que "40% das urgências dos hospitais são verdes e azuis" - isto é, pouco urgentes ou não urgentes "e podiam ser vistas nos centros de saúde". Por isso, sublinha, "os centros de saúde têm de estar preparados para dar assistência a estes doentes" e só depois referenciar para os hospitais.

O secretário de Estado acredita que "o estatuto ontem aprovado transforma e revoluciona aquilo que é a organização dos cuidados de saúde em Portugal, nomeadamente através de uma direção executiva que não é mais uma camada, mas sim uma organização que pretende operacionalizar e coordenar esta articulação e esta integração entre os cuidados e aquilo que são as decisões da tutela e a implementação ao nível dos centros de saúde".

Lacerda Sales salienta que as pessoas precisam de respostas imediatas que só se conseguem "melhorando a integração e a articulação entre os cuidados de saúde".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de