Novo voo parte para o Brasil com passageiros do navio de cruzeiro MCS Fantasy

Passageiros sairão do navio e serão escoltados até ao aeroporto Humberto Delgado.

Um novo voo para repatriar os passageiros do navio de cruzeiro "MCS Fantasia", atracado no Porto de Lisboa, realiza-se esta quarta-feira, pelas 22h15, com destino a São Paulo, Brasil, com 278 pessoas, informou o Ministério da Administração Interna (MAI).

No âmbito da operação conjunta das autoridades portuguesas para o repatriamento dos cidadãos que se encontram a bordo do navio de cruzeiro, para evitar propagações do novo coronavírus, "tal como nos voos anteriores, os passageiros sairão do navio e serão escoltados até ao aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, para o voo de regresso", informa o MAI, em comunicado.

No voo desta quarta-feira à noite vão ser transportados 39 passageiros e 239 tripulantes do navio. O Ministério recorda que se encontravam no navio, que acostou no Porto de Lisboa no passado domingo, 1338 passageiros, maioritariamente da União Europeia, Reino Unido, Brasil e Austrália.

Destes, 27 cidadãos (20 portugueses e sete titulares de Autorização de Residência em Portugal) desembarcaram na segunda-feira. Na terça-feira desembarcaram 1.015 cidadãos estrangeiros, que regressaram aos seus países em quatro voos. Esta quarta-feira à tarde, realizou-se outro voo com destino a Marselha, que transportou 141 pessoas (61 das quais tripulantes do navio).

Esta operação, que decorre em articulação com diversas embaixadas dos vários países, envolve a Direção-Geral dos Assuntos Consulares e das Comunidades Portuguesas, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, a Polícia de Segurança Pública, a Autoridade Nacional da Aviação Civil, a Direção -Geral da Saúde, a Polícia Marítima, a Autoridade Tributária e Aduaneira e a ANA - Aeroportos de Portugal.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou perto de 450 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 20 mil.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com cerca de 240 mil infetados, é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 7503 mortos em 74 386 casos registados até esta quarta-feira.

Em Portugal, há 43 mortes, mais dez do que na véspera (+30,3%), e 2.995 infeções confirmadas, segundo o balanço feito esta quarta-feira pela Direção-Geral da Saúde, que regista 633 novos casos em relação a terça-feira (+26,8%).

Dos infetados, 276 estão internados, 61 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 22 doentes que já recuperaram. Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00h00 de 19 de março e até às 23h59 de 02 de abril.

Além disso, o Governo declarou no dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de