Número de mortos é o mais alto desde março, Gouveia e Melo ordena vacinação de todos na Marinha e outros destaques TSF

Portugal voltou a ter um número acima dos 40 mil casos diários de Covid-19 pelo terceiro dia consecutivo.

O número de mortes registadas esta sexta-feira não se via desde março. Em 24 horas morreram 34 pessoas vítimas de Covid-19 e houve mais 40.090 novos casos de infeção. A incidência também subiu para 3813,6 casos por 100 mil habitantes, já o Rt desceu para 1,19.

Na Marinha, Henrique Gouveia e Melo ordenou a vacinação contra a Covid-19 de todos os operacionais. O novo chefe do Estado-Maior da Armada pretende diminuir a "incidência, gravidade e transmissão da doença" e evitar quebras nas missões.

O vereado socialista da Câmara Municipal de Lisboa João Paulo Saraiva considerou "ridículas" e "vergonhosas" as declarações de Carlos Moedas sobre a multa aplicada pela Comissão Nacional de Proteção de Dados à autarquia. O atual executivo afirmou que se trata de "uma herança pesada que a anterior liderança da Câmara Municipal de Lisboa deixa aos lisboetas".

Dentro do mesmo caso, a Associação dos Profissionais de Proteção e de Segurança de Dados acredita que a multa é insuficiente. Inês Oliveira, presidente da associação, reitera a "gravidade dos factos" e a "circunstância de esta prática ter sido reiterada ao longo de anos e anos".

Foi registado mais um caso de gripe das aves em Portugal. A Direção-Geral da Alimentação e Veterinária detetou um novo foco de infeção da doença numa instalação que detém aves de coleção em Constância, no distrito de Santarém.

De volta ao boletim epidemiológico desta sexta-feira, há 300 concelhos em Portugal no patamar mais elevado de incidência. Apenas oito municípios do país não estão nesse nível. Saiba quais são.

A histórica fortaleza de Peniche vai ser alvo de obras a partir de fevereiro. A intervenção vai custar cerca de três milhões de euros e a ministra da Cultura, Graça Fonseca, quer que termine até ao dia 25 de abril do próximo ano.

O sírio Omar Alshogre foi preso pela primeira vez aos 15 anos por ter participado numa manifestação pacífica onde viu e sentiu "morte e tortura de milhares de sírios". Passados dez anos, vê um ex-militar responsável por isso ser condenado por crimes contra a humanidade. Conheça a história e ouça a conversa de Omar com a TSF.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de