Números da Covid disparam, criança desaparecida em Proença-a-Velha e outros destaques TSF

O dia fica marcado pela cimeira entre os Estados Unidos e a Rússia, de onde saiu uma declaração conjunta de Joe Biden e Vladimir Putin sobre segurança estratégica.

Os números da Covid-19 em Portugal estão a subir de dia para dia. Esta quarta-feira registaram-se mais seis mortes e 1350 casos de infeção. Dos novos casos, 928 (69%) registaram-se em Lisboa e Vale do Tejo. O Rt nacional está agora em 1,12. Em entrevista à TSF, o virologista Pedro Simas considera que o aumento do número de casos motiva "cautela e prudência," mas não há motivos para esperar o pior, lembrando que "há uma grande diferença entre o verão passado e o momento atual.

Em Proença-a-Velha, no concelho de Idanha-a-Nova, está desaparecido, desde o início da manhã, um menino de dois anos. As buscas com drones, equipas cinotécnicas e militares da GNR ainda estão a decorrer.

O futebolista Mário Fernandes, nascido no Brasil, mas naturalizado russo, foi transportado para o hospital depois de sofrer uma queda e embater com as costas no relvado, durante o jogo entre Rússia e Finlândia, do Euro 2020. A federação russa confirmou, entretanto, que não tem nenhuma lesão na coluna vertebral, mas vai continuar sob vigilância médica.

No âmbito da cimeira entre os Estados Unidos e a Rússia, Vladimir Putin e Joe Biden adotaram uma declaração conjunta na qual referem que os seus países são capazes de alcançar, mesmo em períodos de tensão, avanços em matéria de segurança estratégica. Biden indicou que o tom da cimeira com o seu homólogo russo foi "positivo", mas assegurou ter advertido contra qualquer interferência nas eleições norte-americanas. Já Putin considerou que o seu primeiro encontro com Biden foi "construtivo", tendo em pano de fundo as tensões bilaterais.

A Reportagem TSF está a percorrer a ferrovia nacional para observar o melhor e o pior das linhas de comboio portuguesas. O destino final do primeiro dia de viagem foi a Covilhã, na linha da Beira Baixa.

Em entrevista à TSF, quatro anos depois do grande incêndio de Pedrógão Grande, a secretária de Estado da Administração Interna diz que não há decisão que tome, em matéria de prevenção e combate a incêndios, que não tenha presente a tragédia de junho de 2017. Patrícia Gaspar foi, naqueles dias, a cara e a voz da proteção civil, nos momentos mais tensos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de