O Bosque onde avós e netos podem plantar uma árvore

O Bosque dos Avós já reúne mais de 1600 árvores, de mais de 460 avós de todo o mundo. O projeto nasceu nos terrenos baldios de Aboadela, em Amarante, na Serra do Marão.

O projeto arrancou em 2018 pela mão de José Claudino Silva, de 70 anos. "Quando nasceu a minha neta eu achei que teria de a homenagear de alguma forma e pensei que poderia atribuir o nome dela a uma árvore. Procurei na zona de Amarante, falei com um amigo que me apoiou e encontrei este local aqui na Serra do Marão. Adorei este local, contactei as entidades responsáveis que também gostaram da ideia. Começamos com 40 netos e neste momento temos 1645 netos, cada um com uma árvore com o seu nome".

Em finais de março de 2018, o Bosque dos Avós arrancou com a plantação de 400 árvores num terreno cedido pelo Conselho Diretivo dos Baldios de Aboadela e o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas.

Todas as árvores plantadas estão identificadas com um número, à entrada do Bosque dos Avós existe um mapa com o nome de quem plantou e o do neto. "Este mapa é uma indicação para quem vem ao bosque poder descobrir onde estão as árvores correspondentes a cada neto e a cada avô ", explica José Claudino. "Aqui temos pinheiros mansos, medronheiros, carvalhos, bétulas e algumas faias. São árvores doadas".

O Bosque dos Avós já conta com 465 avós espalhados por vários países.

António Arlindo tem dois netos e seguiu os passos da mãe, já falecida, mas que "plantou" mais de 30 árvores, cada uma com o nome dos netos. "Vou encontrar aqui a raiz familiar, eram 37 netos que a minha mãe tinha e entretanto surgiram os bisnetos... Estas árvores simbolizam a vida e eu posso fazer a contabilidade da família que tenho através do Bosque dos Avós. É sempre possível vir aqui e lembrar-me de mais um neto, bisneto da minha mãe, meus sobrinhos...".

Reinaldo Oliveira tem três netos e diz que "este projeto é muito importante, trago muitas vezes os netos aqui". Também Carlos Machado plantou uma árvore, "é uma forma de motivar os miúdos para a preservação da natureza". Elisa Alves conta "que foi uma alegria quando os netos vieram ajudá-la a plantar a árvore. É um gesto de amor".

O Bosque dos Avós nasceu em terrenos baldios, mas nos últimos meses Maria de Fátima e o marido, José Luís, construíram uma cabana de madeira, baloiços e algumas estruturas de apoio. "Trabalhamos com amor à camisola do neto, que esteve aqui e ficou maravilhado. Além disso, aqui respiramos ar puro".

José Claudino Silva, o fundador do Bosque dos Avós, explica que esta também é uma forma de promover o turismo da localidade de Aboadela, em Amarante.

O Bosque dos Avós já foi transformado em associação, qualquer avô pode plantar e apadrinhar uma ou mais árvores autóctones com o nome dos netos, tem apenas que assumir o compromisso de cuidar das plantas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de