"O primeiro dia do resto da nossa vida." Depois do surto, a Casa do Artista começa a desconfinar

Residentes da instituição já podem sair dos quartos e receber visitas.

Depois do surto de Covid-19 que vitimou 11 residentes da instituição em janeiro, a Casa do Artista, na freguesia lisboeta de Carnide, dá, esta terça-feira, os primeiros passos para o desconfinamento.

Os perto de 53 artistas aposentados que aqui residem já estão vacinados e podem agora voltar receber visitas, assim como sair do quarto onde se viram fechados durante meses. O "camarim", como lhe chama a atriz Lourdes Norberto, pela força do hábito, "depois de tantos anos no teatro".

Para Lourdes Norberto e para a cantora lírica Helena Vieira, este é um dia de festa. Finalmente vão receber a família e almoçar fora do quarto, no"restaurante" - o refeitório da instituição.

Ainda não se recuperam todas as "regalias" do pré-pandemia, como as visitas à casa de amigos, mas poder sair do quarto já é um alívio.

"Este é o primeiro dia do resto da nossa vida, como disse o Sérgio", brinca Helena Vieira, que chegou a estar infetada pelo coronavírus.

Conceição Carvalho, vogal da direção, fala de "um ano muito duro", em que os residentes se viram confinados ao quarto, privados de atividades de convívio, refeições em conjunto ou saídas ao exterior. "Ir ao jardim já é um acontecimento", nota.

Todos podem ser sócios da Casa dos Artista, explica o ator Luís Aleluia, secretário da nova direção da instituição, eleita em março e presidida por José Raposo.

"Vamos voltar à matriz", diz à TSF, e devolver a Casa do Artista à sociedade portuguesa.

Em janeiro último, a Casa do Artista enfrentou um surto de Covid-19 que vitimou, entre outros, a atriz Adelaide João, a cançonetista Maria José Valério e a atriz Cecília de Guimarães.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de