Onda de calor. Atenção aos idosos com problemas cardíacos

É preciso cuidado redobrado com os idosos, sobretudo os que sofrem de doenças cardíacas. O alerta é do presidente da Fundação Portuguesa de Cardiologia.

Este fim de semana, a temperatura vai ultrapassar os 40.ºC em diversos distritos do país, sobretudo no interior Norte e Centro e no Alentejo. Manuel Carrageta, presidente da Fundação Portuguesa de Cardiologia, alerta que há medicamentos que podem contribuir para uma menor tolerância ao calor e que quem tem problemas de coração sofre mais com as temperaturas elevadas.

"As pessoas mais velhas têm menor capacidade para suportar altas temperaturas. O coração está mais cansado, começa a trabalhar mais devido ao calor, porque pretende arrefecer o corpo, bombeia o sangue com mais força, tem taquicardia e isso contribui para um desequilíbrio do organismo nestas pessoas. O principal problema dos idosos em relação ao calor, o ponto mais débil, é o coração. Há também certos medicamentos que podem contribuir para suportar pior as temperaturas altas, como os diuréticos, porque desidratam a pessoa, ou os betabloqueadores, que são medicamentos muito usados na cardiologia", explica.

Manuel Carrageta aponta alguns sinais de alerta a que os mais velhos devem estar atentos. "Se a pessoa se começa a sentir enjoada, cefaleias, com muita taquicardia, a transpirar muito, tonturas, são sinais de que está a suportar mal o calor."

O presidente da Fundação Portuguesa de Cardiologia deixa alguns conselhos: "Nos períodos de calor, evitar esforços físicos; manter-se hidratado (as pessoas idosas perdem a noção de sede e devem beber pelo menos 1,5 L de água por dia), abrigar-se num ambiente mais fresco, se possível, usar pouca roupa e leve e de cor clara."

O também presidente da Sociedade Portuguesa de Geriatria recomenda ainda aos mais velhos evitar ou reduzir o consumo de álcool e de cafeína.

Já esta semana, o presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais pediu, na antena da TSF, atenção especial aos mais velhos. Fernando Curto afirmou que, no que respeita aos idosos, as ondas de calor são tão preocupantes como os incêndios.

Face às previsões meteorológicas para os próximos dias, os ministros da Defesa Nacional, da Administração Interna, do Ambiente e da Ação Climática e da Agricultura determinaram a declaração da Situação de Alerta em 14 distritos do Continente. A Situação de Alerta tem início às 12h00 desta sexta-feira, dia 13 de agosto, e prolonga-se até às 23h59 do dia 16 de agosto, segunda-feira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de