Onze hospitais têm carências em dez ou mais especialidades médicas

Alentejo surge no topo das carências, numa lista em que quase todos os hospitais estão localizados longe das grandes cidades.

Há 11 hospitais, centros hospitalares ou unidades locais de saúde, quase todos no Interior, em especial no Alentejo, com carências de médicos em dez ou mais especialidades.

O balanço é feito com base num despacho publicado na terça-feira pelo Ministério da Saúde que identifica os serviços públicos hospitalares com mais carências em cada especialidade médica.

O objetivo do Governo é com base na identificação agora feita atribuir incentivos à mobilidade dos médicos para zonas onde estes fazem mais falta, cumprindo algo previsto num Decreto-Lei de junho de 2015.

Pelos cálculos da TSF, no topo dos hospitais com faltas em mais especialidades médicas surgem três instituições do Alentejo: a Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (17 especialidades), o Hospital do Espírito Santo de Évora (16) e a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (15).

Das duas dezenas de hospitais, centros hospitalares ou unidades locais de saúde que o Ministério da Saúde confirma que têm carências em determinadas especialidades, seguem-se o Centro Hospitalar Universitário da Cova da Beira (15 especialidades), a Unidade Local de Saúde do Nordeste, a Unidade Local de Saúde da Guarda e a Unidade Local de Saúde de Castelo Branco - sendo que nos três casos anteriores as carências chegam a 14 especialidades.

Ainda acima da dezena de especialidades com carências, surgem a seguir a Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano e o Centro Hospitalar do Médio Tejo (ambos com 12), bem como o Hospital Distrital de Santarém e o Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (10).

O Centro Hospitalar Universitário do Algarve, que surge com frequência nas notícias com vários tipos de dificuldades, tem carências em nove especialidades.

Na lista de instituições do Serviço Nacional de Saúde (SNS) com falhas de médicos em determinadas especialidades não surge um único hospital das regiões do Porto ou de Coimbra, nem da cidade de Lisboa, apesar de algumas carências na periferia da capital, nomeadamente na Margem Sul do Tejo: Centro Hospitalar Barreiro Montijo (seis especialidades), Centro Hospitalar de Setúbal (cinco) e o Hospital Garcia de Orta (quatro).

Nas especialidades com mais dificuldades nos hospitais portugueses, surge destacada a anestesiologia com carências em 17 entidades hospitalares do serviço público de saúde.

Depois da anestesiologia, as maiores faltas surgem na urologia (em 12 entidades hospitalares do SNS), radiologia (11) oftalmologia (11 casos), otorrinolaringologia (11) ortopedia (10), ginecologia/obstetrícia (10) e pediatria (10).

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de