Ordem dos Psicólogos defende urgência de reforçar profissionais em lares

Falta de psicólogos "é um problema que já vem de trás", diz o bastonário da Ordem dos Psicólogos.

O bastonário da Ordem dos Psicólogos considera que é urgente reforçar o número de profissionais que prestam apoio em lares. Francisco Miranda Rodrigues lembra que a solidão mata e é preciso reduzir os impactos negativos provocados pela pandemia. Além do pouco contacto com a família, os idosos estão já há muitos meses confinados em espaços fechados, muitos sofrem de demência e, se antes precisavam de apoio, agora precisam ainda mais.

"Uma percentagem muito grande de pessoas que estão nestas estruturas são pessoas que sofrem de outros quadros de doença física e não só, por isso precisam, ainda mais, de uma intervenção por parte dos psicólogos. Esta é a principal preocupação: temos de reforçar, com urgência, os quadros destas instituições com mais psicólogos de modo a que estes possam depois fazer o seu trabalho junto destas pessoas que, mais do que nunca, precisam", explicou à TSF Francisco Miranda Rodrigues.

A falta de psicólogos "é um problema que já vem de trás", diz o bastonário da Ordem dos Psicólogos, lembrando que apenas 40% dos lares têm estes profissionais a prestar ajuda aos utentes.

Com a pandemia, o reforço destes profissionais nas instituições tornou-se uma urgência e, por isso, o bastonário da Ordem dos Psicólogos espera que as Misericórdias e IPSS aproveitem o programa de financiamento proposto pelo ministério do trabalho e da solidariedade para reforçar os quadros.

A Ordem dos Psicólogos está disponível para ajudar e Francisco Miranda Rodrigues adianta que a ordem preparou "um caderno de apoio às instituições, de modo a que com base nessa documentação, possam preparar melhor as candidaturas ao financiamento".

"Preparámos um caderno de apoio às instituições de modo a que as instituições possam, mais facilmente, perceber exatamente como podem utilizar o papel do psicólogo caso necessitem desse tipo de apoio, que tipo de papel é que podem utilizar e prepararem melhor as suas candidaturas ao financiamento com base na documentação", afirma o bastonário da Ordem dos Psicólogos.

Francisco Miranda Rodrigues defende que é preciso garantir a existência de psicólogos nas instituições para que os impactos negativos da pandemia possam ser reduzidos. O bastonário da Ordem dos Psicólogos sublinha que é preciso que quem vive nestes espaços não seja esquecido e têm o direito a ter o seu bem-estar, para além da saúde física, acautelado.

"Temos a certeza e a consciência de que as autoridades de saúde ponderam e têm, de facto, de lidar com este difícil dilema, mas é realmente importante que, pelo menos, se acautelem a existência de recursos, como os psicólogos, para fazer uma intervenção que possa reduzir os impactos negativos desta situação", acrescentou Francisco Miranda Rodrigues.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de