Parceria entre PSP e Porto Editora ensina população a comunicar em língua gestual

O intendente Nuno Carocha refere, em entrevista com Fernando Alves, na Manhã TSF, que desde 2016, a PSP já formou 100 polícias capazes de comunicar em língua gestual.

No Dia Nacional da Língua Gestual Portuguesa, a Polícia de Segurança Pública anuncia uma parceira com a Porto Editora para reforçar a capacidade de comunicação entre todas as comunidades.

Em entrevista com Fernando Alves, na Manhã TSF, o intendente Nuno Carocha, responsável pela comunicação da PSP, sublinha que, desde 2016, já formaram 100 polícias capazes de comunicar em língua gestual.

"Por intermédio desses 100 polícias, a PSP contribuiu com novas entradas na Infopédia onde temos polícias a explicar como é que se comunica em língua gestual portuguesa. É um acervo que começamos agora a construir nesta parceria e que irá sendo incrementado ao longo do tempo com o trabalho que vai ser desenvolvido", explica.

Nuno Carocha refere que são "palavras comuns", mas que dizem "mais à polícia", como por exemplo, "polícia", "confiança", "consistência" ou "denúncia".

O responsável pela comunicação da PSP considera que é importante passar uma mensagem de segurança.

"A língua gestual portuguesa é uma das três línguas oficiais de Portugal, é uma língua que pode e deve ser falada ou utilizada por todos, porque somos pais, amigos, familiares de pessoas surdas e que utilizam esta linguagem no seu quotidiano", afirma, reforçando a importância de mostrar a "toda a população e, em especial, a este segmento da população, que encontra na PSP um interlocutor que percebe e que está muito aberto a este tipo de comunicação".

"Não há qualquer tipo de dificuldade por parte desta comunidade em fazer-se entender e solicitar qualquer tipo de pedido de auxílio ou de apoio à PSP ", acrescenta.

O Dia Nacional da Língua Gestual Portuguesa assinala-se esta segunda-feira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de