Paredes, Penafiel e Paços de Ferreira preocupam DGS, autarcas garantem situação controlada

Três concelhos foram referidos na reunião do Infarmed desta terça-feira como um foco de preocupação para as autoridades de saúde.

Paredes, Penafiel e Paços de Ferreira. Estes são três dos concelhos do país que, devido à densidade populacional e ao número de habitantes, preocupam os especialistas que participaram na reunião do Infarmed desta terça-feira sobre a evolução da pandemia de Covid-19 em Portugal.

Em declarações à TSF, o autarca de Paredes, Alexandre Almeida, explica que a subida no número de casos de Covid-19 está relacionada com o elevado número de fábricas e com a grande percentagem de jovens que compõe a população.

A preocupação existe "sempre", mas Alexandre Almeida garante que a situação está "perfeitamente controlada".

"Somos um concelho muito jovem, dos mais jovens do país", sublinha o autarca, que realça que é nas faixas etárias mais jovens que ocorrem grande parte dos contágios. A este fator junta-se então a "muita indústria" de Paredes.

"Os focos de contágio estão perfeitamente identificados e controlados" nas empresas, mas quando são feitos os testes nestes contextos "já há sempre algum contágio", o que faz aumentar os casos.

Penafiel é outro dos focos de alguma da preocupação da Direção-Geral da Saúde. O autarca, Antonino de Sousa, apela ao cumprimento das normas de proteção, mas considera inevitável que o aumento do número de casos nos concelhos vizinhos influencie as novas infeções detetadas em Penafiel.

"O aumento lá fez com que houvesse reflexos cá, foi isso que aconteceu", garante o autarca. A realidade no concelho é, por estes dias, de "140 casos por 100 mil habitantes", algo que Antonino Sousa diz não ser razão para "alarmismos", até porque "tenderão a descer".

"Os nossos concidadãos têm sido muito rigorosos, prudentes e responsáveis na forma como cumprem as normas", mas com os concelhos vizinhos a registarem níveis de infeção mais elevados, todo o cuidado é pouco. "Redobrem os cuidados", pede o autarca.

O último dos três concelhos que são um foco de preocupação é Paços de Ferreira. Humberto Brito, presidente da câmara, garante que a situação da pandemia no no município está longe de estar descontrolada - "muito pelo contrário" - e explica que o número de casos no município tem vindo a diminuir.

"Houve uma testagem massiva nos últimos dias, nomeadamente nos centros escolares onde apareceram alguns focos" e, esta segunda-feira, só houve registo de um caso positivo no concelho. "Separando quem está positivo de quem está negativo, conseguimos controlar o vírus na comunidade de forma muito célere."

O autarca assinala a "sensibilização grande" da comunidade para a situação do concelho, mas Humberto Brito reconhece que por ser industrial, o município "tem uma tendência crescente para a disseminação do vírus dentro da comunidade".

A região Norte mantém uma tendência crescente na infeção por SARS-Cov-2, mas inferior aos 120 casos /100 mil habitantes, segundo os dados hoje divulgados.

De acordo com os dados revelados na reunião do Infarmed (Lisboa) sobre a situação epidemiológica no país por André Peralta Santos, da Direção-Geral da Saúde (DGS), nas últimas duas semanas regista-se uma tendência estável da incidência cumulativa a 14 dias, o que o especialista considerou "um bom sinal".

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de