Parque Natural do Vale do Tua certificado como destino turístico de excelência para observar estrelas

No Parque do Tua é possível observar nebulosas, galáxias, enxames de estrelas e planetas a 'olho nu'.

O Parque Natural Regional do Vale do Tua à primeira área protegida em Portugal a receber certificação internacional como local de excelência para observação das estrelas. Em Portugal há apenas três locais com esta distinção. Para lá dos sítios com possibilidades únicas de contemplação das estrelas, planetas ou galáxias, o Parque do Tua, quer juntar à observação do cosmos o património arqueológico, edificado e natural.

Esta noite celebrou-se o reconhecimento com uma observação do céu, junto à Anta de Zedes no concelho de Carrazeda de Ansiães. É ali, ao lado do monumento megalítico, quase sem luz à volta e com um céu totalmente estrelado que Miguel Claro, astro-fotógrafo descreve o que se vê e o que se poderá ver.

"Nebulosas, galáxias, enxames de estrelas. Há planetas para se verem a 'olho nu' como por exemplo Júpiter e Saturno. A lua com as suas crateras que são fascinantes, e é giro olhar e perceber que estamos a ver objetos que estão a mil e quatrocentos anos-luz ou no caso da galáxia Andrómeda a dois milhões e meio de anos-luz de distância".

Há cinco anos que anda pelo mundo a fotografar os astros e o vale do Tua encanta-o. "O local é fantástico. É riquíssimo do ponto de vista paisagístico mas também do ponto de vista da arqueoastronomia, aqui há muitos monumentos megalíticos e é uma parte muito importante nesta parte do astro turismo que também as pessoas procuram muito. Por isso tudo estou muito feliz e acho que a região tem muito a ganhar com isso".

Ali, a olhar para o céu e para a responsabilidade da certificação está também Apolónia Rodrigues. É presidente da Dark Sky, associação nacional de locais de turismo Starlight. Diz que o Parque Regional do Tua merece a distinção "pelo trabalho que têm feito na preservação ambiental sustentável que permita usufruir-se dum turismo enquanto se protege um território. Esse é que é o grande desafio destes destinos"

Um turismo que Miguel Claro diz não ter idades e que pode possuir várias vertentes, de verão ou de inverno." O Céu muda a cada três meses, pelo menos. Mas há muitas atividades que se podem fazer (à boleia da observação) como a canoagem noturna, provas cegas de vinhos à luz das estrelas, passeios pedestres, passeios a cavalo, um jantar romântico ao luar e o céu de inverno, na verdade é dos melhores céus para se observar quando comparado com o verão".

É durante todo o ano que Artur Cascarejo, diretor do Parque Natural Regional, quer ver gente a olhar para o céu, único do Tua, e quer também complementar esta oferta turística com outras que já existem. " Na medida em que o Vale do Tua tem também um grande património arqueológico e a observação de aves, o birdwatching e os percursos pedestres, estamos a ter aqui três ofertas de turismo de natureza que se complementam com um duplo objetivo: preservação do ambiente e da natureza e, ao mesmo tempo, desenvolvimento social e económico".

Do Parque do Tua fazem parte os municípios de Alijo, Carrazeda de Ansiães, Mirandela, Murça e Vila Flor, onde, a partir de agora se vai olhar para as estrelas duma outra forma.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de